icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
14/07/2013
10:23

Coritiba e Atlético-PR fazem, neste domingo, a partir das 16h, no Couto Pereira, um clássico, válido pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro, que reúne vários ingredientes para apimentar a maior rivalidade do Paraná. A começar pela situação das equipes. Com 12 pontos, o Coxa está na parte de cima da tabela. Já o Furacão soma apenas seis pontos, se encontra na zona de rebaixamento e será comandado pelo interino Alberto Valentim, uma vez que o técnico Vagner Mancini chegou apenas sexta-feira a Curitiba.

Porém, o que mais chamará a será a volta de Keirrison, que não joga desde outubro de 2011 – quando defendia o Cruzeiro – devido a duas rupturas do ligamento cruzado do joelho direito. São 636 dias de espera. O atacante foi relacionado para uma partida pela primeira vez desde que retornou ao Coritiba, em março de 2012. Keirrison, que começará no banco, vive uma ansiedade que não esconde. E que cresce a cada minuto.

– Se tiver a chance de jogar, nem que seja alguns instantes... Estou ansioso, nem durmo – disse.

Aos 24 anos, Keirrison anda às voltas com lesões e com altos e baixos na carreira. Em 2006, no Coxa, uma lesão no ligamento do joelho o afastou por quase um ano. Em 2008 foi artilheiro do Paranaense e do Campeonato Brasileiro. Ganhou projeção que o levou ao Palmeiras e ao Barcelona, da Espanha. Na Espanha, não foi aproveitado e acabou repassado para Benfica (POR), Fiorentina (ITA), Santos e Cruzeiro. Sem brilhar. E ainda vieram as cirurgias em 2011 e 2012. Por isso ele sabe que o Atletiba tem tudo para marcar uma nova etapa em sua carreira. Mas pede paciência.

– Terei dificuldades, me faltará ritmo. Mas finalmente eu voltei – disse Keirrison, sonhando que este seja o Atletiba da sua vida.

BATE-BOLA
Keirrison
Atacante do Coritiba, em entrevista exclusiva ao LANCE!Net

Vou dar o meu máximo, a torcida pode me cobrar

Como está a expectativa de poder entrar em campo após quase dois anos?
Estou ansioso, está difícil de dormir, mas, ao mesmo tempo, estou feliz por retornar. Se tiver a oportunidade de jogar, nem que seja alguns minutos, vou dar o meu máximo. Sempre busquei dar a volta por cima e esse será mais um desafio.

A torcida está ansiosa, mas você mesmo diz que está longe da melhor forma. A torcida terá que paciência com você?
Vai ter que ter. Pelo tempo que fiquei parado, vou ter muitas dificuldades, por conta da musculatura estar muito tempo parada. Falta ritmo de jogo, mas darei o meu máximo. Podem cobrar.

Voltar em casa, frente o maior rival do Coxa, tem um sabor especial?
Nunca procurei pensar qual seria o adversário. O mais importante é que será um jogo difícil e pode valer a liderança para o Coritiba.

O Coritiba está na briga pela liderança. É bom voltar nesta situação?
O Coritiba está buscando um título nacional, e esse é o nosso objetivo este ano. Já tivemos a liderança e temos que nos manter sempre entre os quatro. Vai chegar o momento da arrancada.

Como foi a sua preparação para este retorno?
Pelo tempo que fiquei parado, estou muito feliz por participar dos treinamentos com o grupo e estou preparado para jogar caso eu entre em campo, mesmo sabendo que ainda preciso melhorar bastante.

Voltar fazendo gol em cima do maior rival seria um grande retorno?
Nunca parei de pensar nisso, mesmo quando estava parado. Se tiver a oportunidade, será inesquecível.

COM A PALAVRA
Vilson Ribeiro de Andrade
Presidente do Coritiba, ao LANCE!Net.

Temos um carinho muito grande por ele

Keirrison é um menino que completou 24 anos. Ele foi revelado pelo Coritiba muito jovem e subiu ao profissional em 2006, com apenas 17 anos. Ele é um menino que passou por três cirurgias, sendo duas no mesmo joelho, voltou ao clube onde foi revelado e estará no banco (no clássico contra o Atlético) depois de muito tempo sem jogar, para a nossa alegria.

É um menino com o qual todos nós no Coritiba temos um carinho muito grande. A torcida também tem um carinho muito grande com ele, mas estamos tendo todo o cuidado possível, porque ele ainda é muito jovem, embora já seja conhecido no Brasil inteiro. Ele é um menino que pode trazer muitas alegrias para nós e para o futebol brasileiro.

A VIA-CRÚCIS DE KEIRRISON

O último jogo
A derrota do Cruzeiro para o Corinthians
por 1 a 0, no dia 16 de outubro de 2011 foi a última partida oficial de Keirrison. De lá para cá, 636 dias longe dos gramados.

Lesão no Cruzeiro
Em dezembro, durante treino na Toca da Raposa, Kerrison – na reserva e não relacionado nos jogos da Raposa – teve rompimento do ligamento cruzado do joelho direito e precisou passar pela sua terceira cirurgia.

Retorno ao Coxa
Em março de 2012, Keirrison se recuperava da cirurgia quando o Coritiba anunciou o seu retorno, após negociação envolvendo o Cruzeiro (clube que o mantinha por empréstimo) e o Barcelona (detentor dos seus direitos). O Coxa apostava na recuperação do jogador revelado pelo clube.

Lesão antes da estreia
Há poucos dias de sua reestreia pelo Coxa, em agosto de 2012, Keirrison sentiu um incômodo no joelho operado e foi constatado que ele deveria fazer uma nova cirurgia no local. Mais onze meses de inatividade, que se encerrará neste domingo.

Coritiba e Atlético-PR fazem, neste domingo, a partir das 16h, no Couto Pereira, um clássico, válido pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro, que reúne vários ingredientes para apimentar a maior rivalidade do Paraná. A começar pela situação das equipes. Com 12 pontos, o Coxa está na parte de cima da tabela. Já o Furacão soma apenas seis pontos, se encontra na zona de rebaixamento e será comandado pelo interino Alberto Valentim, uma vez que o técnico Vagner Mancini chegou apenas sexta-feira a Curitiba.

Porém, o que mais chamará a será a volta de Keirrison, que não joga desde outubro de 2011 – quando defendia o Cruzeiro – devido a duas rupturas do ligamento cruzado do joelho direito. São 636 dias de espera. O atacante foi relacionado para uma partida pela primeira vez desde que retornou ao Coritiba, em março de 2012. Keirrison, que começará no banco, vive uma ansiedade que não esconde. E que cresce a cada minuto.

– Se tiver a chance de jogar, nem que seja alguns instantes... Estou ansioso, nem durmo – disse.

Aos 24 anos, Keirrison anda às voltas com lesões e com altos e baixos na carreira. Em 2006, no Coxa, uma lesão no ligamento do joelho o afastou por quase um ano. Em 2008 foi artilheiro do Paranaense e do Campeonato Brasileiro. Ganhou projeção que o levou ao Palmeiras e ao Barcelona, da Espanha. Na Espanha, não foi aproveitado e acabou repassado para Benfica (POR), Fiorentina (ITA), Santos e Cruzeiro. Sem brilhar. E ainda vieram as cirurgias em 2011 e 2012. Por isso ele sabe que o Atletiba tem tudo para marcar uma nova etapa em sua carreira. Mas pede paciência.

– Terei dificuldades, me faltará ritmo. Mas finalmente eu voltei – disse Keirrison, sonhando que este seja o Atletiba da sua vida.

BATE-BOLA
Keirrison
Atacante do Coritiba, em entrevista exclusiva ao LANCE!Net

Vou dar o meu máximo, a torcida pode me cobrar

Como está a expectativa de poder entrar em campo após quase dois anos?
Estou ansioso, está difícil de dormir, mas, ao mesmo tempo, estou feliz por retornar. Se tiver a oportunidade de jogar, nem que seja alguns minutos, vou dar o meu máximo. Sempre busquei dar a volta por cima e esse será mais um desafio.

A torcida está ansiosa, mas você mesmo diz que está longe da melhor forma. A torcida terá que paciência com você?
Vai ter que ter. Pelo tempo que fiquei parado, vou ter muitas dificuldades, por conta da musculatura estar muito tempo parada. Falta ritmo de jogo, mas darei o meu máximo. Podem cobrar.

Voltar em casa, frente o maior rival do Coxa, tem um sabor especial?
Nunca procurei pensar qual seria o adversário. O mais importante é que será um jogo difícil e pode valer a liderança para o Coritiba.

O Coritiba está na briga pela liderança. É bom voltar nesta situação?
O Coritiba está buscando um título nacional, e esse é o nosso objetivo este ano. Já tivemos a liderança e temos que nos manter sempre entre os quatro. Vai chegar o momento da arrancada.

Como foi a sua preparação para este retorno?
Pelo tempo que fiquei parado, estou muito feliz por participar dos treinamentos com o grupo e estou preparado para jogar caso eu entre em campo, mesmo sabendo que ainda preciso melhorar bastante.

Voltar fazendo gol em cima do maior rival seria um grande retorno?
Nunca parei de pensar nisso, mesmo quando estava parado. Se tiver a oportunidade, será inesquecível.

COM A PALAVRA
Vilson Ribeiro de Andrade
Presidente do Coritiba, ao LANCE!Net.

Temos um carinho muito grande por ele

Keirrison é um menino que completou 24 anos. Ele foi revelado pelo Coritiba muito jovem e subiu ao profissional em 2006, com apenas 17 anos. Ele é um menino que passou por três cirurgias, sendo duas no mesmo joelho, voltou ao clube onde foi revelado e estará no banco (no clássico contra o Atlético) depois de muito tempo sem jogar, para a nossa alegria.

É um menino com o qual todos nós no Coritiba temos um carinho muito grande. A torcida também tem um carinho muito grande com ele, mas estamos tendo todo o cuidado possível, porque ele ainda é muito jovem, embora já seja conhecido no Brasil inteiro. Ele é um menino que pode trazer muitas alegrias para nós e para o futebol brasileiro.

A VIA-CRÚCIS DE KEIRRISON

O último jogo
A derrota do Cruzeiro para o Corinthians
por 1 a 0, no dia 16 de outubro de 2011 foi a última partida oficial de Keirrison. De lá para cá, 636 dias longe dos gramados.

Lesão no Cruzeiro
Em dezembro, durante treino na Toca da Raposa, Kerrison – na reserva e não relacionado nos jogos da Raposa – teve rompimento do ligamento cruzado do joelho direito e precisou passar pela sua terceira cirurgia.

Retorno ao Coxa
Em março de 2012, Keirrison se recuperava da cirurgia quando o Coritiba anunciou o seu retorno, após negociação envolvendo o Cruzeiro (clube que o mantinha por empréstimo) e o Barcelona (detentor dos seus direitos). O Coxa apostava na recuperação do jogador revelado pelo clube.

Lesão antes da estreia
Há poucos dias de sua reestreia pelo Coxa, em agosto de 2012, Keirrison sentiu um incômodo no joelho operado e foi constatado que ele deveria fazer uma nova cirurgia no local. Mais onze meses de inatividade, que se encerrará neste domingo.