icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
16/07/2013
13:21

A Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) divulgou neste terça-feira que dois atletas brasileiros foram flagrados em exames antidoping. Idalto dos Santos e Sabine Letícia Heitling foram suspensos provisoriamente pela entidade.

Idalto foi enquadrado durante coleta de urina durante a Maratona de Brasília Caixa, no dia 5 de maio. Foram detectadas as presenças das seguintes substâncias: Amfepramona, Etilaminopropiofenona e Etilnorpseudoefedrina (Metabólitos da Amfepramona) e OH-isopropil-bis-nor-sibutramina e OH-ciclobutano-bis-nor-sibutramina (metabólitos da Sibutramina).

Ele não fez o requerimento para o exame de amostra B de urina dentro do prazo determinado pela WADA (Agência Mundial de Antidoping)/IAAF (Federação Internacional de Atletismo). Suspenso provisoriamente, ele tem 14 dias para solicitar julgamento pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).

Já Sabine, foi flagrada no dia 7 de junho, durante Troféu Brasil Caixa de Atletismo. Ele teve a presença da substância proíbida Metilhexaneamina detectada. Ela não solicitou o exame para a amostra B de urina, mas apresentou suas justificativas para a CBAt, que não aceitou. A atleta tem os mesmos 14 dias para solicitar julgamento.

Idalto é um atleta pouco conhecido no cenário do atletismo brasileiro. Sabine, por sua vez, havia sido convocada para disputar o Campeonato Sul-Americano de atletismo, que foi disputado em cartagena (COL) este mês. Ela, porém, não representou o país por conta de uma lesão. Nenhum dos dois tinham índices para o Mundial, que será disputado em agosto, em Moscou.

Os dois brasileiros foram suspensos em um momento em que o atletismo está em choque com casos de doping. No último domingo, foi anunciado que os astros jamaicanos Asafa Powell e Sherone Simpson e o americano Tyson Gay testaram positivo em exames.


A Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) divulgou neste terça-feira que dois atletas brasileiros foram flagrados em exames antidoping. Idalto dos Santos e Sabine Letícia Heitling foram suspensos provisoriamente pela entidade.

Idalto foi enquadrado durante coleta de urina durante a Maratona de Brasília Caixa, no dia 5 de maio. Foram detectadas as presenças das seguintes substâncias: Amfepramona, Etilaminopropiofenona e Etilnorpseudoefedrina (Metabólitos da Amfepramona) e OH-isopropil-bis-nor-sibutramina e OH-ciclobutano-bis-nor-sibutramina (metabólitos da Sibutramina).

Ele não fez o requerimento para o exame de amostra B de urina dentro do prazo determinado pela WADA (Agência Mundial de Antidoping)/IAAF (Federação Internacional de Atletismo). Suspenso provisoriamente, ele tem 14 dias para solicitar julgamento pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).

Já Sabine, foi flagrada no dia 7 de junho, durante Troféu Brasil Caixa de Atletismo. Ele teve a presença da substância proíbida Metilhexaneamina detectada. Ela não solicitou o exame para a amostra B de urina, mas apresentou suas justificativas para a CBAt, que não aceitou. A atleta tem os mesmos 14 dias para solicitar julgamento.

Idalto é um atleta pouco conhecido no cenário do atletismo brasileiro. Sabine, por sua vez, havia sido convocada para disputar o Campeonato Sul-Americano de atletismo, que foi disputado em cartagena (COL) este mês. Ela, porém, não representou o país por conta de uma lesão. Nenhum dos dois tinham índices para o Mundial, que será disputado em agosto, em Moscou.

Os dois brasileiros foram suspensos em um momento em que o atletismo está em choque com casos de doping. No último domingo, foi anunciado que os astros jamaicanos Asafa Powell e Sherone Simpson e o americano Tyson Gay testaram positivo em exames.