icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
28/07/2013
15:10

Enquanto o Monaco sai gastando dinheiro ao contratar jogadores valiosos pelo mundo, quem está lá desde a Segundona já começa mostrar insatisfação. O atacante Ibrahima Touré, por exemplo, autor de 18 gols na última temporada e artilheiro do time, já não faz parte dos planos de Claudio Ranieri, e o jogador acusa a diretoria do time de não deixá-lo sair. Ele esteve até fora do período de pré-temporada na Áustria.

- Se o Monaco está na Primeira Divisão, é um pouco graças a mim. Tento manter o moral, mas não é fácil, eles querem cortar as minhas pernas. É injusto. Li que o treinador achava que eu não tinha boa mentalidade para aceitar viver os jogos do banco. Não é verdade - disse Touré ao L'Equipe, garantindo que existe gente que o quer:

- Há clubes interessados, como o Saint-Étienne. Também ouvi de uma abordagem do Rennes. Há clubes que fazem propostas, mas são recusadas porque o clube quer dinheiro. Acabam me impedindo de sair.

Ao saber das declarações do atacante, o diretor esportivo do Monaco garantiu que não é bem assim.

- Ninguém lhe quer mal. O que ele diz é excessivo, sabemos o que ele deu ao clube, mas ele disse que aceitaria as escolhas esportivas. Tentamos encontrar soluções para ele - explicou Vadim Vasilyev.

Enquanto o Monaco sai gastando dinheiro ao contratar jogadores valiosos pelo mundo, quem está lá desde a Segundona já começa mostrar insatisfação. O atacante Ibrahima Touré, por exemplo, autor de 18 gols na última temporada e artilheiro do time, já não faz parte dos planos de Claudio Ranieri, e o jogador acusa a diretoria do time de não deixá-lo sair. Ele esteve até fora do período de pré-temporada na Áustria.

- Se o Monaco está na Primeira Divisão, é um pouco graças a mim. Tento manter o moral, mas não é fácil, eles querem cortar as minhas pernas. É injusto. Li que o treinador achava que eu não tinha boa mentalidade para aceitar viver os jogos do banco. Não é verdade - disse Touré ao L'Equipe, garantindo que existe gente que o quer:

- Há clubes interessados, como o Saint-Étienne. Também ouvi de uma abordagem do Rennes. Há clubes que fazem propostas, mas são recusadas porque o clube quer dinheiro. Acabam me impedindo de sair.

Ao saber das declarações do atacante, o diretor esportivo do Monaco garantiu que não é bem assim.

- Ninguém lhe quer mal. O que ele diz é excessivo, sabemos o que ele deu ao clube, mas ele disse que aceitaria as escolhas esportivas. Tentamos encontrar soluções para ele - explicou Vadim Vasilyev.