icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
28/11/2013
12:04

Para o centroavante vingar no Flamengo, historicamente, ele não precisa ser um craque, mas, sim, folclórico. Hernane é a prova mais recente disso. O artilheiro de um toque só na bola não costuma perdoar quando a chance aparece dentro da área. E o título da Copa do Brasil fez o Brocador entrar no mesmo grupo que Obina e Gaúcho já faziam parte – de campeões da Copa do Brasil pelo Fla.

Gaúcho era um autêntico camisa 9. Natural de Canoas, no Rio Grande do Sul, tinha um estilo playboy, adorava jogar futevôlei na praia e era melhor amigo de Renato Gaúcho, companheiro na campanha do título de 1990, o primeiro rubro-negro na Copa do Brasil. O jogador acabou como artilheiro do time na competição, com cinco gols – dois a menos do que Bizu, do Náutico, maior goleador no geral. Ele também foi campeão brasileiro em 1992.

Já Obina teve uma trajetória um pouco diferente. Ironizado na chegada por aparentar estar acima do peso, começou a cair no folclore a cada gol que marcava e a torcida dizia que ele era “melhor que Eto’o”, camaronês que que estava no auge da carreira no Barcelona. Na decisão de 2006, contra o Vasco, Obina começou no banco a primeira partida, mas entrou no lugar do zagueiro Renato Silva e abriu o placar acertando um chute de primeira. O Fla venceu por 2 a 0 e conquistou o título ao derrotar o rival por 1 a 0 no segundo jogo.

Agora, Hernane, baiano como Obina e artilheiro da Copa do Brasil deste ano, repete os mesmos passos dos artilheiros. A saga continua...

GALERIAS DE FOTOS:
> As imagens da conquista do tri da Copa do Brasil no Maracanã
> Que torcida é essa! Torcida empurra o Flamengo para o tri
> Artilheiro! Os gols do Brocador na Copa do Brasil
> É campeão! A trajetória do Flamengo até o tricampeonato

BLOGS:
> Mauro Beting: 'Flamengo tricampeão da Copa do Brasil'
> Janca: 'O tricampeonato do Flamengo no Maracanã'
> Benja: 'Raça, amor e paixão'

BROCADOR QUASE FOI PARAR NO AVAÍ EM 2012

A passagem de Hernane pelo Flamengo poderia ter durado menos de quatro meses. E sem deixar saudade. Isso só não aconteceu pela insistência do Brocador. Em meados de setembro do ano passado – Hernane chegara no início de junho –, o Fla lutava contra o rebaixamento. Como a janela de transferências internacionais já estava fechada, a Série B foi a alternativa encontrada para reforçar o time. Os alvos eram o zagueiro Renato Santos e o volante/meia Cleber Santana, do Avaí.

A troca de Hernane e Negueba pelos dois jogadores estava encaminhada pelas diretorias. No entanto, o centroavante e a revelação da base do clube bateram o pé e disseram que não eram a favor da transferência. Os dois acabaram ficando no Flamengo – e o Avaí aceitou ceder Renato e Cleber por aproximadamente R$ 3 milhões –, mas tendo poucas chances até o fim do ano. Negueba acabou emprestado ao São Paulo em 2013 e Hernane herdou a vaga de titular após a saída de Vagner Love, em janeiro.

GAÚCHO

Nome: Luís Carlos Tofolli
Local e data de nascimento: Canoas (RS), 07/03/1964

Demorou a se firmar
Revelado pela divisões de base do Flamengo, no início da década de 80, foi emprestado diversas vezes até voltar ao clube em 1990 e se firmar. Conquistou três títulos importantes no Rubro-Negro: Copa do Brasil de 1990, Campeonato Carioca de 1991 e Campeonato Brasileiro de 1992. Marcou 98 gols em 200 jogos.

OBINA

Nome: Manuel de Brito Filho
Local e data de nascimento; Vera Cruz (BA), 31/01/1983

Melhor que Eto’o
Chegou em 2005 e caiu nas graças da torcida ao marcar o gol da vitória por 1 0 sobre o Paraná, no Brasileiro daquele ano, que ajudou a livrar o time do rebaixamento. Ganhou uma Copa do Brasil (2006) e três Cariocas (2007/08/09). Fez 47 gols em 182 jogos.