icons.title signature.placeholder Michel Castellar
03/07/2014
17:47

A invasão dos argentinos a Brasília para o jogo de sua seleção contra a Bélgica, no sábado, pelas quartas de final da Copa do Mundo, ainda é tímida. Durante esta quinta-feira, cerca de 100 hermanos chegaram ao local preparado para recebê-lo mas, à noite, é aguardado um comboio com cerca de mil veículos.

- Está tudo bom, bem organizado. Saímos de São Paulo e estamos em cinco aqui, dentro do mortohome. Espero que o Messi siga nos salvando - disse o empresário de telefonia Ricardo Farquim, que saiu da cidade de Jujuy.

Farquim contou que a viagem pelo Brasil tem sido tranquila. Eles já passaram por Rio de Janeiro, Belo Horizonte e São Paulo e o próximo desafio é o de arrumar mais dois ingressos, porque conseguiram apenas três para assistirem o confronto contra os belgas.

Em Brasília, os argentinos que não têm hospedagem serão abrigados no estacionamento do Parque de Exposições da Granja do Torto. O local tem capacidade para abrigar quatro mil veículos e fica a 12 quilômetros do local da partida, o Estádio Nacional de Brasília - Mané Garrincha.

No parque de exposições, a torcida argentina tem a sua disposição água potável, 118 chuveiros e 105 banheiros químicos. Linhas de transporte público para o estádio e para o Fifa Fan Fest serão disponibilizadas. O preço da passagem será de R$ 3,00.

- A hospitalidade do brasileiro tem feito a diferença. Claro que tem um ou outro que grita para nós: maricón, maricón. Mas isso tudo faz parte da rivalidade que nos une - considerou o bancário Juancho Talarga.

Talarga chegou a Brasília depois de assistir à classificação argentina para as quartas de final em São Paulo. Veio em um motorhome acompanhado por mais sete pessoas.

Mas o jogo contra os belgas será o último confronto a ser presenciado pelo grupo. De acordo com Talarga, está na hora de todos voltarem a trabalhar.

- Mas tudo compensou. Foi ótimo. Agora é torcer para uma final entre Brasil e Argentina. E que termine empatado e os dois dividam a taça - brincou Talarga.