icons.title signature.placeholder Guilherme Gomes
01/07/2014
13:35

Alertado pelos incidentes provocados pela torcida argentina em Porto Alegre, no jogo entre Argentina e Nigéria, quando houve arrastão e roubo de ingressos, o policiamento foi mais ostensivo no jogo da tarde desta terça-feira, entre Argentina e Suíça, na Arena Corinthians, em comparação às outras três partidas realizadas no local.

Dos quatro jogos disputados até agora na capital paulista, esta é a partida com policiamento mais evidente e atuante. No jogo de abertura da Copa do Mundo, entre Brasil e Croácia, também houve forte esquema de segurança, mas mais espalhado pela cidade, inclusive com o Exército na rua desde cedo. Já na partida desta terça, era perceptível uma preocupação especial com a torcida.

Já no metrô, em determinadas composições, grupos de policiais embarcavam na estação Patriarca, duas antes da estação Itaquera, para fazer um monitoramento prévio. Logo no desembarque na estação Itaquera, também era possível constatar o aumento da segurança. O perímetro de verificação de ingressos da Fifa foi alargado, e muitos policiais faziam a vigilância no trajeto. Pela primeira vez, foi possível observar diversas abordagens de PMs e membros da Guarda Civil Metropolitana a suspeitos. Pediam documentos, vasculhavam mochilas.

- Um dos principais motivos é também tentar coibir a atuação de cambistas - disse o cabo Leonardo Trigo.

Apesar desse esforço, mesmo esse policiamento ostensivo não conseguiu deter a atuação dos cambistas, mas ao menos impediu as ações de torcedores-vândalos sem ingresso como as observadas em Porto Alegre.