icons.title signature.placeholder Rodrigo Vessoni
28/11/2013
07:05

A tragédia ocorrida nesta quarta-feira, quando um guindaste caiu na Arena Corinthians e matou dois operários, mudará o esquema de instalação da peça que ajudou a causar o acidente.

Para garantir que o estádio seja finalizado da forma que foi projetado, a última peça metálica da cobertura sobre o prédio norte, que não pôde ser colocada nesta quarta, será dividida em quatro partes iguais.

Essa será a saída encontrada pela Odebrecht para compensar a ausência do guindaste de 1,5 mil toneladas que despencou sobre o estádio. Esse era o único guindaste que poderia levantar essa última peça do lado norte, já que a mesma pesa 420 toneladas e tem de ser içada por 40 metros de altura. Agora, com o módulo dividido em até quatro partes, um guindaste de bem menos capacidade poderá fazer o serviço.

Para se ter uma idéia da dificuldade que é colocar a maior peça metálica da cobertura, basta lembrar o que foi necessário fazer do outro lado, o lado sul da Arena Corinthians. Entre a preparação para o içamento e a fixação do módulo, na junção da cobertura do prédio sul com a do edifício leste da Arena, foram consumidas 72h de trabalho de 65 homens.

Essa mesma quantidade de pessoas esteve envolvida na colocação da peça do lado norte, que acabou não sendo possível pelo desabamento do guindaste que levantava a mesma e tentava alcançar a outra parte da cobertura. Agora, o prazo será de cerca de dois meses para a conclusão.

Repórter mostra drama do acidente na Arena Corinthians