icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
09/03/2014
21:34

Palco de importantes jogos da primeira fase da Copa-2014, a Arena da Amazônia, em Manaus, foi inaugurada neste domingo – ainda incompleta –, no empate entre Nacional-AM e Remo, por 2 a 2, em um emocionante jogo de volta pelas quartas de final da Copa Verde, competição da qual fazem parte times do Norte, Centro-Oeste e Espírito Santo.

Com o resultado fora de casa, o time paraense fará o clássico contra o Paysandu em uma das semifinais, já que, na ida, o placar foi 1 a 1.

A Arena da Amazônia, que custou R$ 669,5 milhões, receberá quatro jogos da primeira fase da Copa, entre eles dois de grande procura por ingressos: Inglaterra x Itália e Portugal x Estados Unidos. Camarotes e serviços de acabamento internos ainda precisam ser terminados.

Logo na primeira partida, que teve 20 mil torcedores, emoção não faltou, principalmente no segundo tempo. O zagueiro Max, do Remo, saiu como herói, marcando os dois primeiros gols do estádio.

A abertura do placar aconteceu aos 32 minutos do primeiro tempo, após cobrança de escanteio que Max completou de cabeça. O zagueiro, que tem 26 anos e passou por Boa Esporte e Guarani, usou a cabeça novamente para ampliar a vantagem, já no segundo tempo.

A situação ficou um pouco tensa na arquibancada logo após o segundo gol remista e os stewards tiveram que separar a primeira confusão na arquibancada da Arena.

Jefferson Recife fez o clima esquentar, no bom sentido, ao diminuir o placar, aos 29 da etapa final. O Nacional não parou e empatou, já aos 40, com um chutaço de Nando – o primeiro golaço da Arena. Mas o empate resolveu para os visitantes.

- A Arena é espetacular, está impecável. Lutamos até o final, mas infelizmente não veio a classificação. Eles souberam trabalhar em cima dos nossos erros. Tive a felicidade de acertar um belo chute - elogiou Nando.

Sede de um duelo pelo “grupo da morte” da Copa, Manaus já começou a se ambientar com a emoção.