icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
04/11/2014
11:33

O torcedor santista pode até ficar chateado caso o time não se classifique para a final da Copa do Brasil, mas não pode deixar de aplaudir a equipe ao fim do ano, como externa o goleiro Aranha, titular do Peixe em todas as competições e responsável por grande parte dos méritos alvinegros em 2014. Segundo o arqueiro, o clube vive uma época difícil, financeiramente, com troca de técnicos e também com eleição, mas nem isso evitou com que o Alvinegro buscasse títulos.

- A gente tem deixado o torcedor fora de gozações, que a gente sabe que tem quando o time está mal. Estamos disputando finais, esperamos dar alegria, quando se ganha, todos ganham. É importante para fechar o ano com chave de ouro. Senão foi "o ano" do torcedor, foi um bom ano. Vemos equipes na zona de rebaixamento e aqui não. Temos competido com dignidade - disse o camisa 1 em entrevista coletiva no CT Rei Pelé, se referindo à disputa do Estadual e da Copa do Brasil.

Individualmente, Aranha quase não dá motivos para o torcedor reclamar. Em 51 jogos que fez desde janeiro, foi vazado apenas 46 vezes.

Mesmo assim, o defensor da meta alvinegra se explicou sobre a participação no segundo gol da derrota do Santos para o Internacional por 2 a 1 no último domingo. Após um toque de Mena em direção a defesa, ele agarrou a bola e o árbitro marcou tiro livre indireto para o Colorado.

- Perguntei a todos sobre o recuo e ninguém me disse com certeza se foi ou não. Ou a interrogação está na regra ou no meu entendimento. Se está bem especificado não tem o que falar. A bola veio, esperei o kick e peguei. O juiz tomou a decisão dele. Fui para pegar com a mão, ia até segurar um pouco, não sei se está certo, ninguém tem certeza. Mas não foi a intenção do Mena em recuar - opinou.