icons.title signature.placeholder Alexandre Braz
29/07/2014
13:50

Depois da reunião entre a diretoria, representada pelo diretor técnico Wilson Gottardo, e o elenco do Botafogo, na manhã desta terça-feira, o meia Carlos Alberto concedeu entrevista coletiva, no Engenhão, e falou sobre o encontro, motivado pelo protesto feito pelo time antes do clássico contra o Flamengo, no Maracanã.

O apoiador não deu maiores detalhes sobre o encontro, mas considerou que foi importante para ambas as partes. Carlos Alberto disse que o diretor não deu prazo para que os salários, atrasados há três meses, sejam pagos, mas garantiu que uma manifestação mais radical, como uma greve, por exemplo, está descartada.

- Isso (greve) é um tiro no próprio pé. Como tem outros jogadores, você tem que ter o direito de opinião, ninguém é o dono da verdade. Isso é o que me dá prazer, fiquei muito tempo sem jogar e vi pela televisão. Hoje estou feliz novamente e tenho certeza que todos vão se manter treinando e jogando com o mesmo empenho. Tivemos um papo bem bacana, no qual o Gottardo se posicionou, os jogadores e o Mancini colocou algumas situações dele e nos fez algumas cobranças também. Eu até gostaria de falar detalhes do que foi conversado - disse o meia.

LEIA MAIS
> Meia se despede e reconhece que atrasos de salários pesaram para sair
> Mancini cita opções para substituir Airton, suspenso contra o Cruzeiro
> Reunião para tratar de protestos de domingo atrasa jogo-treino

Como deve três meses de salários na carteira de trabalho, os jogadores do Botafogo poderiam pedir na justiça a liberação para se transferirem para outros clubes. Carlos Alberto disse que não há um pacto no elenco para que essa medida não seja tomada. No entanto, o meia disse acreditar que isso não deverá acontecer.

- Acordo não tem, até porque isso é muito particular. Não sei qual é a necessidade de cada um e acredito que isso (pedir liberação na Justiça) tende a acontecer com jogadores mais jovens. Vou me empenhar ao máximo porque sei que tem pessoas que acreditam em mim aqui e que merecem o meu empenho - disse o apoiador.


Mauricio Assumpção não sabe como pagar os atrasados (Foto: Bruno de Lima/LANCE!Press)

No encontro desta manhã, que atrasou o jogo-treino dos reservas do Botafogo contra o Bangu, o diretor Gottardo foi o responsável por se posicionar como representante da diretoria. Carlos Alberto elogiou o comportamento do ex-zagueiro com o elenco.

- Foram esclarecidas algumas situações. O Gottardo é bem transparente nisso e deixou todo mundo à vontade para dar opinião. Uns falaram, outros não, e saímos de lá com um norte a ser seguido - disse.