icons.title signature.placeholder Fellipe Lucena
22/06/2014
08:18

Os gritos de "Valdivia" que ecoaram no Maracanã na vitória do Chile sobre a Espanha devem ser ouvidos em volume ainda maior nesta segunda-feira, na Arena Corinthians, em jogo que começa às 13h e vale a liderança do Grupo B, contra a Holanda - as duas seleções estão classificadas as oitavas de final.

Conhecido no Brasil desde 2006, quando iniciou sua primeira passagem pelo Palmeiras, o Mago contará com o apoio dos alviverdes. Muitos enviaram mensagens ao meia, via redes sociais, pedindo que use camisa verde por baixo do uniforme ou outro tipo de homenagem.

Se entrar em campo - a vaga entre os 11 não está garantida -, será o primeiro atleta do Verdão a jogar no novo estádio do rival. O volante Charles Aranguiz, que torceu o joelho direito, deve ser poupado, o que pode abrir espaço para Valdivia.

Titular e autor de um gol na vitória por 3 a 1 sobre a Austrália, o camisa 10 ficou no banco nos 2 a 0 contra os espanhóis e entrou no fim. Mas engana-se quem pensa que ele ficou insatisfeito com Jorge Sampaoli.

O técnico é o responsável pela ressurreição do Mago. No início do ano passado, era improvável que o armador disputasse o segundo Mundial da carreira no Brasil. Isso só foi possível porque Sampaoli destacou o fisioterapeuta cubano José Amador para acompanhá-lo e livrá-lo das lesões que o atormentavam desde 2010 - o Palmeiras criou um cronograma especial de atividades e também teve papel importante na recuperação.

Valdivia chegou a ficar dois anos sem defender a seleção nacional. Voltou em julho do ano passado, com um grande voto de confiança de Sampaoli. Antes, fora suspenso por dez jogos pelo escândalo chamado de "Bautizazo", em que ele e mais quatro chegaram a um treino alcoolizados após um batizado. Hoje elogiado pela disciplina fora de campo e livre do pesadelo das lesões, o Mago vive um sonho.

O caminho do Mago até a Copa:

2011
Titular da seleção chilena com o técnico Claudio Borghi, Valdivia foi suspenso por dez partidas no fim do ano por se apresentar alcoolizado. Beausejour, Jara, Carlos Carmona e Vidal estavam junto. Todos estão na Copa.

2012
Mago brilha na reta final da Copa do Brasil com o Verdão, mas tem ano tumultuado: sequestro, lesões e rebaixamento. Fora da seleção.

2013
Ano começou com lesão, mas terminou com boa sequência de jogos e ótimas atuações na Série B. Em julho, finalmente voltou a defender a seleção chilena, já com Sampaoli no comando. Firmou-se e está na Copa.