icons.title signature.placeholder Daniela Caravaggi e Thiago Ferri
16/06/2014
16:18

A relação entre São Paulo e Palmeiras, que já não era das melhores, parece ter afundado de vez. Após nova desavença na semana passada entre os presidentes Carlos Miguel Aidar e Paulo Nobre, o mandatário tricolor desistiu de tentar uma reaproximação com o rival.

A negociação para ver quem ficava com o atacante Alan Kardec culminou no racha entre Palmeiras e São Paulo. No episódio, Aidar chegou a chamar Nobre de "juvenil" e disse que o clube estava se apequenando. O mandatário, porém, mudou de ideia e, em entrevista ao LANCE!Net, prometeu procurar o presidente do Verdão para fazer as pazes.

Porém, na última quarta-feira, em um jantar, o clima entre os dirigentes não foi nada amistoso. De acordo com informações divulgadas pelo Globoesporte.com, Paulo Nobre se recusou a cumprimentar Aidar, afirmando que não conversava com gente "da laia dele". Marco Polo Del Nero, que irá assumir a CBF no ano que vem, estava conversando com o presidente do Palmeiras no momento e presenciou a cena.

Aidar e uma pessoa próxima a Nobre confirmaram a história ao LANCE!Net. O presidente do São Paulo disse que, no jantar, foi incentivado pelo presidente do Corinthians, Mário Gobbi, a quebrar o gelo com o mandatário do Verdão, que reagiu da forma que reagiu. Perguntado se havia desistido de tentar uma reaproximação com Nobre, Aidar disse:

- Desisti. Deixa ele pra lá.

Os presidentes já tinham se encontrado um dia antes do ocorrido, no congresso da Fifa. Na ocasião, eles se cumprimentaram, mas no dia seguinte, Nobre teria falado que tinha feito o gesto porque estava escuro e ele não tinha visto quem era.

- Não quis criar clima. Estava na casa de terceiros, achei inconveniente, mas essas coisas não me incomodam - completou Aidar.

O Palmeiras rompeu com o São Paulo depois que Aidar ironizou o discurso de Nobre sobre o caso Kardec. O são-paulino disse que a atitude do palmeirense foi patética. Nobre tinha dito que o rival foi sorrateiro e antiético na negociação. 

O jogador foi contratado pelo São Paulo no fim de abril por 4,5 milhões de euros (aproximadamente R$ 13 milhões). Ele pertencia ao Benfica (POR) e estava emprestado ao Palmeiras.