icons.title signature.placeholder Guilherme Cardoso
icons.title signature.placeholder Guilherme Cardoso
20/07/2013
11:02

O sul-africano Oscar Pistorius não é o único atleta paralímpico do atletismo a já ter competido oficialmente com pessoas sem deficiência. O irlandês Jason Smyth, que tem apenas parte da visão, também já viveu tal experiência.

Em 2011, o velocista participou da prova dos 100m no Mundial de Atletismo, na Coreia do Sul. Com o tempo de 10s57, não foi para as semifinais e saiu na primeira eliminatória. Nada que o desanime.

– Aquilo foi muito importante porque me fez sentir confiante e capaz de competir em alto nível com os melhores atletas do mundo. Com um trabalho duro e comprometimento, sou capaz de fazer mais coisas do que posso imaginar – afirmou o corredor ao LANCE!.

Neste sábado, Smyth entra na pista no Mundial de Atletismo Paralímpico pelas semifinais dos 200m da classe T13. Medalhista de ouro nessa prova e nos 100m nas duas últimas Olimpíadas e do Mundial de 2006 (em 2011, ficou fora por lesão), ele é o favorito para repetir tal sucesso.

Por enquanto, Smyth só quer esquecer o assunto Tyson Gay. O irlandês treinou com o americano de 2009 até junho deste ano. Ele não acredita no doping do companheiro revelado na última semana.

– Quando li as notícias, fiquei completamenteo chocado com o que estava vendo. Só sei apenas sobre o que eu li. Então, não queria fazer especulações sobre esse assunto – declarou o velocista.

Além de tentar saber mais sobre Tyson Gay, Smyth tem outra meta após o Mundial: conseguir uma vaga na Olimpíada do Rio, em 2016.

- Acho possível competir outro Mundial e a Olimpíada. Meu objetivo é realizar isso no Rio. Estive perto de competir em Londres com o índice B. Fiquei 0s04 acima do índice A. Vou atrás dessa pequena diferença nos próximos anos – disse.

Alguém dúvida que ele consiga?

* O repórter viaja a convite do Comitê Paralímpico Brasileiro

CONFIRA UM BATE-BOLA EXCLUSIVO COM JASON SMYTH:

LANCE!Net: Como é para você ser colocado como um dos destaques do Mundial?
Jason Smyth: Para mim, é uma honra ser visto como um dos atletas mais importantes da Irlanda. Isso faz com que eu continue trabalhando para manter o sucesso. Fazendo isso, acredito que posso ajudar as pessoas a tentarem perseguir seus sonhos.

L!Net: Acredita que consegue bater suas marcas nos 100m (10s46) e nos 200m (21s05) da Olimpíada de 2012?
JS: A competição em Lyon para mim não vai ser sobre bater o tempo, mas sim para tentar vencer meus adversários. Ao mesmo tempo, me sinto capaz em correr mais rapidamente do que o recorde mundial. Então, acho que é possível bater essas marcas em algum momento futuro.

L!Net: Qual a importância de ter passado por um período de treinamento com o Tyson Gay nos Estados Unidos?
JS: Isso me ajudou muito. Pude fazer parte de um grupo de atletas que são melhores do que eu e precisava me esforçar em todo treino. Também pude aprender muito na técnica do sprint. Combinando tudo isso, acredito que posso evoluir.

L!Net: Assim como Oscar Pistorius, você chegou a competir em Mundiais para atletas sem deficiência. Vocês chegavam a conversar sobre isso?
JS: Não conhecia muito o Pistorius. Apenas nos cumprimentávamos quando nos cruzávamos. Nada mais que isso.

QUEM É O IRLANDÊS?

Nome: Jason Smyth
Nascimento: 4 de julho de 1987 (Londonderry, Irlanda do Norte)
Categoria: T13 (para atletas com visão parcial)
Conquistas: Bicampeão olímpico, em 2008 e 2012, e campeão mundial, em 2006, nos 100m e 200m

O sul-africano Oscar Pistorius não é o único atleta paralímpico do atletismo a já ter competido oficialmente com pessoas sem deficiência. O irlandês Jason Smyth, que tem apenas parte da visão, também já viveu tal experiência.

Em 2011, o velocista participou da prova dos 100m no Mundial de Atletismo, na Coreia do Sul. Com o tempo de 10s57, não foi para as semifinais e saiu na primeira eliminatória. Nada que o desanime.

– Aquilo foi muito importante porque me fez sentir confiante e capaz de competir em alto nível com os melhores atletas do mundo. Com um trabalho duro e comprometimento, sou capaz de fazer mais coisas do que posso imaginar – afirmou o corredor ao LANCE!.

Neste sábado, Smyth entra na pista no Mundial de Atletismo Paralímpico pelas semifinais dos 200m da classe T13. Medalhista de ouro nessa prova e nos 100m nas duas últimas Olimpíadas e do Mundial de 2006 (em 2011, ficou fora por lesão), ele é o favorito para repetir tal sucesso.

Por enquanto, Smyth só quer esquecer o assunto Tyson Gay. O irlandês treinou com o americano de 2009 até junho deste ano. Ele não acredita no doping do companheiro revelado na última semana.

– Quando li as notícias, fiquei completamenteo chocado com o que estava vendo. Só sei apenas sobre o que eu li. Então, não queria fazer especulações sobre esse assunto – declarou o velocista.

Além de tentar saber mais sobre Tyson Gay, Smyth tem outra meta após o Mundial: conseguir uma vaga na Olimpíada do Rio, em 2016.

- Acho possível competir outro Mundial e a Olimpíada. Meu objetivo é realizar isso no Rio. Estive perto de competir em Londres com o índice B. Fiquei 0s04 acima do índice A. Vou atrás dessa pequena diferença nos próximos anos – disse.

Alguém dúvida que ele consiga?

* O repórter viaja a convite do Comitê Paralímpico Brasileiro

CONFIRA UM BATE-BOLA EXCLUSIVO COM JASON SMYTH:

LANCE!Net: Como é para você ser colocado como um dos destaques do Mundial?
Jason Smyth: Para mim, é uma honra ser visto como um dos atletas mais importantes da Irlanda. Isso faz com que eu continue trabalhando para manter o sucesso. Fazendo isso, acredito que posso ajudar as pessoas a tentarem perseguir seus sonhos.

L!Net: Acredita que consegue bater suas marcas nos 100m (10s46) e nos 200m (21s05) da Olimpíada de 2012?
JS: A competição em Lyon para mim não vai ser sobre bater o tempo, mas sim para tentar vencer meus adversários. Ao mesmo tempo, me sinto capaz em correr mais rapidamente do que o recorde mundial. Então, acho que é possível bater essas marcas em algum momento futuro.

L!Net: Qual a importância de ter passado por um período de treinamento com o Tyson Gay nos Estados Unidos?
JS: Isso me ajudou muito. Pude fazer parte de um grupo de atletas que são melhores do que eu e precisava me esforçar em todo treino. Também pude aprender muito na técnica do sprint. Combinando tudo isso, acredito que posso evoluir.

L!Net: Assim como Oscar Pistorius, você chegou a competir em Mundiais para atletas sem deficiência. Vocês chegavam a conversar sobre isso?
JS: Não conhecia muito o Pistorius. Apenas nos cumprimentávamos quando nos cruzávamos. Nada mais que isso.

QUEM É O IRLANDÊS?

Nome: Jason Smyth
Nascimento: 4 de julho de 1987 (Londonderry, Irlanda do Norte)
Categoria: T13 (para atletas com visão parcial)
Conquistas: Bicampeão olímpico, em 2008 e 2012, e campeão mundial, em 2006, nos 100m e 200m