icons.title signature.placeholder Alexandre Araújo e Aurino Leite
15/04/2014
00:01

O erro de arbitragem na final do Carioca, entre Vasco e Flamengo, no último domingo, que ocasionou o gol que deu o título do Rubro-Negro ainda repercute mal nos bastidores do Cruz-Maltino. Prova disso é que, durante a reunião do Conselho Deliberativo, que aconteceu na noite desta segunda-feira, uma moção de repúdio à Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj).

Segundo o LANCE!Net apurou, Eurico Miranda, presidente do Conselho de Beneméritos e com fortes ligações com a federação, inicialmente, foi contra a moção. Porém, diante do protesto de outros conselheiros, acabou voltando atrás e aprovando o documento.

Veja momento em que Eurico tenta defender Federação do Rio

Nele, o Conselho Deliberativo do Vasco ressalta que os “constantes e escandalosos erros de arbitragem que de forma inequívoca vêm prejudicando nossa equipe de futebol profissional, quase sempre contra o mesmo adversário” e lembram que, recentemente, a diretoria cruz-maltina, preocupada com os constantes equívocos, havia pedido à federação que houvesse uma arbitragem de outro estado, “no entanto, estranhamente tal pedido foi negado de imediato, e o resultado todos assistiram na vergonhosa partida final”.

Vale ressaltar que a diretoria vascaína, em entrevista no fim da tarde desta segunda-feira, afirmou que entrará na justiça e tentará a anulação da partida. O lance gerou a revolta dos jogadores, que se manifestaram nas redes sociais, como o jogador Douglas.

Márcio Araújo, autor do gol do título rubro-negro, estava 69 centímetros à frente da linha da zaga do Vasco.

O LANCE!Net teve acesso a moção. Veja o documento, na íntegra, abaixo:

"MOÇÃO DE REPÚDIO À FERJ E EM DEFESA DO VASCO

O Conselho Deliberativo do Club de Regatas Vasco da Gama aprova a presente MOÇÃO DE REPÚDIO À FEDERAÇÃO DE FUTEBOL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO (FERJ) e em defesa do Club de Regatas Vasco da Gama, nos seguintes termos:
Os constantes e escandalosos erros de arbitragem que de forma inequívoca vêm prejudicando nossa equipe de futebol profissional, quase sempre contra o mesmo adversário, deixam claro haver uma orientação, implícita ou explícita, por parte da FERJ, contra o Club de Regatas Vasco da Gama.
Antes das partidas decisivas o CRVG¸ alertado pelos erros de que já fora vítima, solicitou à Federação que fosse providenciada arbitragem de fora do estado. Ressalte-se que tal medida não seria de forma alguma inédita, pois várias federações já a adotaram para preservar a confiança na lisura de suas competições. No entanto, estranhamente tal pedido foi negado de imediato, e o resultado todos assistiram na vergonhosa partida final.
O Conselho Deliberativo do Club de Regatas Vasco da Gama conclama a diretoria administrativa a adotar um tom mais incisivo em suas relações institucionais com a FERJ e indica a necessidade de lutar por radicais mudanças na direção e na comissão de arbitragem da FERJ. Se tais mudanças não ocorrerem deve-se estudar disputar a edição 2015, deste hoje desmoralizado “campeonato” estadual, com time júnior ou misto, encarando-o como mera preparação para as disputas nacionais.
O Vasco, ao longo de sua centenária história já foi vítima de perseguições e boicotes de todo o tipo. Reagiu como reagirá sempre, com todos os vascaínos unidos em defesa do Vasco, pois os pioneiros que derrotaram os racistas e construíram São Januário nos legaram o exemplo da altivez e da coragem.
Às novas gerações de vascaínos podemos assegurar: nenhuma derrota, por mais injusta e sofrida, irá macular a grandeza do gigante da colina.
O Vasco, amor eterno de milhões, no fim acabará vencendo, com sua grandeza e sua história, todos os manipuladores que tentam solapar nossas conquistas. Assim foi antes e assim será agora.
Parafraseando Ademir Menezes, o Queixada, encerramos: “Somos homens e mulheres dominados pelo coração e nossos corações são dominados pelo Vasco”, hoje e sempre: nada nos abaterá!

CONSELHO DELIBERATIVO DO CLUB DE REGATAS VASCO DA GAMA
14 de Abril de 2014."