icons.title signature.placeholder Caio Carrieri e Felipe Bolguese
22/06/2014
08:05

A cerca de 10 minutos para o início de Alemanha x Gana, neste sábado, a fila de entrada em frente ao Portão F do Castelão travou. O motivo: dezenas de torcedores africanos eram barrados por portarem instrumentos – na maioria tambores, mas também alguns metálicos ou em formatos pontiagudos.

A primeira orientação dos Stewards, seguranças contratados pela Fifa para fazer a segurança interna dos estádios, foi dizer que eles não poderiam entrar. A frase gerou revolta e uma discussão acalorada começou. A Polícia Militar foi chamada para acalmar os ânimos. Neste meio tempo, torcedores brasileiros e de outros países, vendo o drama vivido pelos ganeses, começaram a gritar “Libera, libera!”. Outros chegaram a até a se exaltar com protestos contra a Fifa.

– Nós estávamos há algumas semanas em New Jersey e Nwe York e pudemos entrar tranquilamente. Só queremos fazer festa. Não sei o motivo dessa atitude. Não podemos largar nossas coisas fora do estádio – afirmou um dos torcedores.

A reportagem do LANCE!Net, que registrava a situação, foi orientada a não bater fotos ou gravar vídeos. No mesmo momento, torcedores registravam tudo de seus celulares. O Steward André de Oliveira Pinto, primeiramente, exigiu a saída do L!Net do local. Depois, acompanhado de mais dois funcionários, confiscou de forma ilegal a câmera e a credencial. Após discussão, os dois foram devolvidos com a ordem de deixar o local e se encaminhar para as tribunas de imprensa. O local era a parte interna do estádio, logo após a passagem dos torcedores pela revista.

O L!Net ainda conseguiu ver os torcedores de Gana entrarem e serem encaminhados para algum setor do estádio, onde deveriam deixar os instrumentos. No estádio, durante a partida, foram notados apenas alguns chocalhos que eram tocados pelos africanos. Os tambores, realmente, não foram permitidos.