icons.title signature.placeholder Fellipe Lucena
15/04/2014
19:29

O planejamento "antilesão" elaborado pelo Palmeiras no meio da temporada passada deu certo, recuperou totalmente a musculatura do meia Valdivia e, aos poucos, vai se tornando desnecessário. Essa é a conclusão do clube após uma biópsia realizada na sexta-feira passada pela Escola Paulista de Medicina.

- As mitocôndrias são os pulmões das células, são elas que geram a maior quantidade de energia para as contrações musculares. E o Valdivia tinha uma alteração no número de mitocôndrias. Hoje, ele não tem mais. Está nas mesmas condições de qualquer outro atleta de alto rendimento com 30 anos de idade - disse Beny Schmidt, médico que também havia feito uma biópsia no Mago em 2012.

Desde junho do ano passado, quando voltou a jogar após uma lesão na coxa direita, Valdivia frequenta menos o gramado da Academia de Futebol do que os companheiros. Após os jogos, fica um dia a mais fazendo exercícios na sala de musculação, porque demorava mais para se recuperar. Em contrapartida, as lesões graves desapareceram. Agora, a expectativa da comissão técnica é tratá-lo de maneira cada vez mais "normal".

- A biópsia confirma que tem dado certo. Ele está entrando no ritmo de todo mundo. No pós-jogo, o cuidado tem sido um pouco maior, mas gradativamente a gente vai liberando, vai entrando no ritmo normal. Como tem histórico, a gente fica preocupado, mas não tem nenhum sinal negativo - disse Paulo Zogaib, fisiologista do clube.

Ele admite que a ida de Valdivia para a seleção chilena para a disputa da Copa do Mundo preocupa. Os únicos problemas musculares sofridos pelo jogador desde que o planejamento "antilesão" foi posto em prática aconteceram quando ele estava sob o comando da comissão técnica de seu país.

- Preocupa, mas agora temos um contato maior com eles, e nessas últimas idas a coisa fluiu bem. É Copa do Mundo, é outra coisa, diferente de Eliminatória ou amistoso. Não o analisamos mais como antes. O número de jogos, o desempenho, os dados de GPS e os exames laboratoriais que temos feito mostram que está tudo normal com o Valdivia - completou Zogaib.