icons.title signature.placeholder Marcio Porto
07/04/2014
17:17

O descontentamento do São Paulo com o volante Fabrício é recíproco. Comunicado de que passará a treinar em Cotia, sede das categorias de base, a partir desta terça-feira, o jogador não esconde seu descontentamento com o posicionamento do clube. Em entrevista ao LANCE!Net, Fabrício comentou o afastamento e relembrou outro episódio parecido, surgido ano passado no clube. Após a eliminação da Libertadores, o volante estava em uma lista com mais seis jogadores que foram afastados pelo presidente Juvenal Juvêncio.

- Do São Paulo não espero mais nada. Foi igual no ano passado, sempre sobra pra alguém. Eu mesmo nem estava jogando agora e aconteceu isso. Faz parte, faz dois anos e meio que estou aqui e, conhecendo o clube, encarei com naturalidade - afirmou o volante.

Jogador de personalidade forte, que não costuma fugir de perguntas, Fabrício foi enigmático ao comentar se o afastamento de agora está relacionado com a briga com o também volante Maicon, há duas semanas. Na ocasião, eles trocaram empurrões e xingamentos no CT após uma disputa de bola.

- Nunca se sabe (se tem a ver com a briga). Não sei. Nunca sei o que se passa na cabeça dos que decidem aqui - declarou o volante.

Fabrício é auto-crítico ao dizer que também não rendeu o que o clube esperava e tenta não guardar mágoas. No entanto, ao contrário da outra vez, ele acredita que agora não terá mais retorno.

- Faz parte. Os dois lados ficaram chateados. Eu também não respondi às expectativas deles. Agora vou respeitar a decisão, cumprir as cláusulas do contrato - disse.

O vínculo do volante vai até o fim do ano. E, como já disse anteriormente, ele não tem intenção de sair mesmo sem jogar entre os profissionais. O objetivo é cumprir o contrato.

- Em primeiro lugar, ainda está minha parte financeira. Eu não abro mão de nada. Então vamos ver o que a gente faz - afirmou o jogador, que recebe cerca de R$ 200 mil mensais no Tricolor.

Fabrício foi contratado no início de 2012, do Cruzeiro, com a missão causar um choque num elenco que parecia acomodado. No entanto, passou por diversos problemas físicos, entre eles uma grave lesão no joelho direito, e pouco jogou. Este ano, nem sequer entrou em campo e foi relacionado apenas uma vez pelo técnico Muricy Ramalho, que não era entusiasta do jogador.