icons.title signature.placeholder Bruno Cassucci, Felipe Bolguese e Marcelo Braga
13/11/2013
06:01

O Santos acredita ter poder de barganha para convencer Marlone de que a ida para a Vila, a partir de janeiro, será a escolha mais benéfica para a sua carreira. Primeiro a negociar diretamente com o agente do meia-atacante, Reginaldo Duarte, que é dono de 40% dos direitos econômicos dele, o Alvinegro se mantém otimista, mesmo diante da concorrência de cada vez mais clubes brasileiros.

Na terça-feira, o Atlético-MG iniciou conversas com o pai do atleta, Jaldo Saraiva, que está no Rio de Janeiro desde o fim de semana, onde acompanhou o empate por 2 a 2 do Vasco com o clube paulista no Maracanã. Interessado em reforçar a equipe do Galo para a Copa Libertadores do ano que vem, é o próprio presidente Alexandre Kalil quem está tocando o negócio. Agente de Bernard e de outros jovens promissores, Giuliano Bertolucci atua como intermediário. Há também o aporte financeiro do banco BMG.

A estratégia de todos os clubes, porém, é a mesma: conversa direta com o empresário do atleta com a intenção de pagamento da multa, que é de de R$ 5,4 milhões. Dono de 60% dos direitos econômicos, o Vasco nem sequer tem sido ouvido pelos rivais, já que está focado na manutenção da Série A do Brasileirão e ainda acredita que pode manter o jogador, que tem contrato até 2015, com aumento salarial. Duas propostas já foram recusadas.

Para passar por cima dos concorrentes, o Peixe acredita que pode oferecer um plano de carreira mais vantajoso. Isso significa que, além da chance maior de ser titular, o jogador ganharia bônus nos seus vencimentos a cada meta alcançada. Diante de “amarras“ em contrato, o clube tentará seduzi-lo. A cúpula, porém, descarta um salário astronômico à jovem aposta.

Como o LANCE!Net já mostrou, os dirigentes acreditam que o Corinthians tenha entrado no negócio só para subir os valores envolvidos – salário, luvas e comissão. Sem a mesma gana do início, o rival até já estaria saindo de cena aos poucos.