icons.title signature.placeholder Marco Stamm
20/03/2014
17:58

Assim que terminar a Copa do Brasil pelo Villa Nova, o meia Mancini não deve permanecer no clube de Nova Lima. O destino mais provável do atual artilheiro do Campeonato Mineiro é o América-MG, que busca o armador para a disputa da Série B do Campeonato Brasileiro. O negociação está adiantada, mas não está concretizada.

- Tenho uma negociação adiantada com o América e tem outros clubes me procurando, mas não quero falar muito porque não acho legal - disse ao LANCE!Net.

Do lado do América, o integrante do Conselho Administrativo, Marcus Salum, confirmou o interesse. No entanto, mantendo a postura de não desviar o foco da semifinal do Estadual contra o Atlético-MG no próximo domingo, não revelou detalhes.

- O interesse tem sim e estamos negociando, mas não tem nada fechado - enfatizou Salum, que também negocia com André, Júnior Negão e Pablo, da Tombense, e com Dinei, da Caldense.

APOSENTADORIA

Se a transação for confirmada, será o décimo clube da carreira vitoriosa de Mancini ao longo de 16 anos. Desde de 1998 ele já passou por Atlético-MG, Portuguesa, São Caetano, Venezia, Roma, Internazionale, Milan, Bahia e Villa Nova, além da Seleção Brasileira. Apesar dos 33 anos (faz 34 em agosto), ele garante que está longe de se aposentar.

- Quero jogar esses sete meses de 2014 e o ano que vem. Depois eu vejo como vai estar minha carcaça - declarou referindo-se ao condicionamento físico.

Mancini já conquistou nove títulos oficiais. Tem uma Champions League, seis títulos nacionais na Itália, um Campeonato Mineiro e uma Copa América com a Seleção. Também ganhou a Bola de Prata do Brasileirão de 2002. Com o currículo recheado, o meia ainda encontra motivação para seguir com a carreira.

- Minha motivação é terminar por cima. Todos falavam que eu estava velho, acabado e agora consigo jogar nesse nível no Campeonato Mineiro e fazer sete gols sendo meia, me dá muita satisfação - afirmou, acrescentando que:

- Eu poderia ter parado no ano passado, mas quero terminar por cima, quero jogar bem. É isso que me dá vontade de continuar.

O currículo permite ao jogador escolher onde quer jogar. É aí que a balança pesa para o Coelho. Nascido em Belo Horizonte e criado em Ipatinga, a base do jogador está em Minas Gerais.

- É uma comodidade. Tenho família, casa e negócios todos aqui - finalizou dando esperança aos torcedores americanos.