icons.title signature.placeholder Alexandre Araújo
03/03/2014
00:21

O ex-volante Amaral, o original, elogiou e que garantiu que o homônimo do Flamengo tem tudo para deslanchar na carreira e, inclusive, chegar à Seleção Brasileira. O ex-jogador, que esteve na Sapucaí para acompanhar os desfiles das Escolas de Samba do Rio de Janeiro na noite deste domingo, afirmou que ficou feliz ao saber que o apelido do rubro-negro era em homenagem a ele.

O nome do volante do Flamengo é Maurício, mas, segundo o próprio rubro-negro, é conhecido por Amaral pela semelhança física com o ex-jogador. Amaral reconquistou espaço no Fla após Jayme de Almeida ser efetivado como treinador e chegou a marcar um gol no primeiro jogo da final da Copa do Brasil do ano passado, contra o Atlético-PR, ajudando o time da Gávea a sagrar-se campeão.

- Fiquei Feliz. Fui um jogador, praticamente, consagrado. Cheguei à Seleção Brasileira. Quando fiquei sabendo que esse Amaral era em minha homenagem, fiquei muito feliz. Desejo muita sorte a ele. É um bom jogador e tenho certeza que pode chegar à Seleção - disse.

Com passagens em grandes clubes do Brasil, como Palmeiras, Corinthians, Vasco e Grêmio, Amaral também chegou a atuar no futebol da Indonésia (no Manado United, em 2011, e no Persebaya 1927, em 2011 e 2012). Ele, inclusive, esteve na Sapucaí com alguns empresários de lá para um projeto, que vai acontecer durante a Copa do Mundo, que acontece neste ano, no Brasil.

- Conheço eles da Indonésia. Eles queriam vir para o Brasil e de última hora apareceram. Eles têm um projeto para a Copa do Mundo, de trazer 60 pessoas para cá. A intenção é trazer indonésios ao Brasil porque, algumas vezes, as imagens são ruins e as pessoas de fora pensam que o Brasil não é um país legal, um país cultural.

Amaral foi reconhecido por muitos fãs de futebol que estavam na Sapucaí, ouviu elogios, incentivos e até mesmo brincadeiras. Um rapaz apertou a mão do ex-jogador do falou: 'Coringão é nós' (ele defendeu o Corinthians entre 1998 e 1999). Já outro pediu sua volta à Seleção Brasileira e mais um que passou lembrou o elástico que ele recebeu de Romário, quando o Baixinho estava no Flamengo e Amaral no Corinthians.