icons.title signature.placeholder Rafael Bullara
17/12/2013
12:08

Criado pelos principais jogadores do Brasil o Movimento Bom Senso FC ganhou corpo na reta final da temporada e, por enquanto, visa melhorias para o futebol masculino. Principal representante entre as mulheres, a atacante Marta confessa não estar inteirada do assunto.

 - Ouvi alguns comentários. Na Suécia não passa muita coisa e os países europeus, infelizmente, tentam passar coisas para denegrirem o Brasil, até porque nos próximos anos seremos vitrines por conta de importantes competições como Copa do Mundo e Olimpíada. Mesmo assim acho que atitudes como essas são sempre válidas – disse a atacante durante a final da Copa Coca-Cola, no Estádio Mané Garrincha.

 Perguntada se poderia ajudar como uma representante do futebol feminino mesmo atuando fora do país, ela se colocou à disposição:

 - Eu sempre estou à disposição para algo que fará bem para o esporte. A gente sempre deixa o extracampo para dirigentes só que o atleta também tem o direito de participar. Eles têm algo a acrescentar. Essa questão de bom senso já deveria ter acontecido com o futebol feminino.

 - O histórico é muito bom em mundiais e Olimpíadas e não temos sequência. Na Suécia, Alemanha tem futebol o ano inteiro. Nos Estados Unidos existe a Liga e as faculdades incentivam demais. Quando a jogadora vai para a seleção está praticamente pronta.

A última participação de Marta por um clube brasileiro aconteceu em 2011 quando ela defendeu o Santos e conquistou a Copa Libertadores da categoria.