icons.title signature.placeholder Bruno Grossi
28/04/2014
17:03

O Palmeiras, por meio de pronunciamento do presidente Paulo Nobre, já anunciou que Alan Kardec não vestirá mais a camisa alviverde e que, em breve, será anunciado oficialmente como jogador do São Paulo. Antes cautelosos com o assunto, embora o presidente Carlos Miguel Aidar tenha confirmado (e depois voltado atrás) o acordo, os tricolores falam com segurança e sem pressa sobre a chegada do centroavante.

Aidar nomeou sua diretoria para o triênio 2014/2017 apenas na última quinta-feira, fazendo com que diretores e vice-presidentes ainda não tenham se encontrado para alinhar discursos e ações sobre Alan Kardec. O planejamento para o caso deve ser definido ainda nesta semana com reuniões entre os departamentos administrativos, sediados no Morumbi, e o de futebol, instalado no CT da Barra Funda.

O clima é de tranquilidade porque não há pressa para confirmar a chegada do primeiro reforço da nova gestão. Kardec ainda tem dois meses de contrato com o Palmeiras, o que tira praticamente as chances da contratação ser anunciada pelo São Paulo nesta segunda-feira. Além disso, o atacante, assim que rescindir com o Verdão, voltará a ser atleta do Benfica (POR), caracterizando uma transferência internacional e impedindo que o Tricolor o escale antes da Copa do Mundo.

Segundo o sub-procurador geral do Superior Tribunal de Justiça (STJD), Caio Medalar, a solução para os são-paulinos terem Kardec antes do dia 14 de julho seria apresentar recurso à Fifa, aberta a interpretações pelo fato do jogador já estar em atividade no Brasil. A tendência, no entanto, é que não haja pressa para o goleador ser utilizado por Muricy Ramalho.

O presidente Carlos Miguel Aidar foi procurado pela reportagem do LANCE!Net para responder as críticas de Paulo Nobre e comentar o desfecho da negociação, mas pediu para ser contatado mais tarde. Alan Kardec deve assinar contrato de cinco anos com o São Paulo para receber R$ 300 mil mensais. Já o Benfica aceitou fechar o negócio por 4,5 milhões de euros (cerca de R$ 13,7 milhões) e bônus de 10% por negociações futuras. Os representantes do jogador também receberiam comissão pela negociação.

Após perder Kardec, Palmeiras ataca São Paulo