icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
02/12/2013
15:18

Acertado com o Atlético-PR para recuperar a forma física, treinar e tentar voltar a jogar profissionalmente, o atacante Adriano viveu seu último bom momento no futebol há pouco mais de dois anos, no dia 20 de novembro de 2011. Apesar de ter produzido pouco com a camisa do Corinthians, o Imperador foi responsável por um dos gols marcantes na campanha do pentacampeonato do Brasileirão naquele ano.

Diante do Atlético-MG, pela 36ª rodada do Brasileirão, o Corinthians perdia por 1 a 0 dentro do estádio do Pacaembu e corria o risco de perder a liderança para o Vasco, que havia vencido o Avaí no dia anterior e assumia a primeira posição a duas partidas do fim do torneio. Adriano entrou no lugar de Willian aos 22 minutos do segundo tempo, viu Liedson empatar o jogo aos 33 e, dez minutos depois, recebeu passe de Emerson Sheik, entrou na área, esperou o goleiro Renan Ribeiro cair e anotou um belo gol.

A virada diante de 35 mil pagantes no Pacaembu entusiasmou a torcida do Corinthians e deixou o time com 67 pontos, dois à frente do Vasco. Nas duas rodadas finais, o Timão venceu o Figueirense e empatou com o Palmeiras, enquanto o Vasco fez 2 a 1 sobre o Fluminense, empatou com o Flamengo e acabou sendo apenas vice-campeão nacional daquele ano. O Imperador, por sua vez, não jogou nenhuma das rodadas finais, mas levou para a casa a medalha referente ao título.

Com contrato assinado em março de 2011 com validade até junho de 2012, Adriano só conseguiu jogar mais quatro partidas na outra temporada. No primeiro jogo de 2012, um amistoso em Londrina-PR contra o Flamengo, o atacante mostrou estar mal fisicamente e foi "rebaixado" para a etapa de preparação física. Pelo Paulistão, voltou a atuar mais três vezes, sendo apenas uma, contra o Botafogo de Ribeirão Preto, por 90 minutos. A despedida foi em 4 de março, em partida contra o Santos.

O técnico Tite, que afastou e "rebaixou" Adriano em diversas oportunidades, surpreendeu na última semana, quando afirmou que não ter ajudado mais o Imperador foi um de seus principais arrependimentos durante os três anos como treinador do Corinthians. Na ocasião, ao LANCE!Net, o jogador de 31 anos agradeceu a lembrança.

Em março de 2012, envolvido em problemas físicos e disciplinares, rescindiu contrato com o Corinthians sem multa para os dois lados. Cinco meses depois, começou a treinar no Flamengo, com contrato de risco e o limite estabelecido pela diretoria de cinco atos de indisciplina. Após 75 dias, em novembro daquele ano, o vínculo foi rescindido. Desde então, Adriano havia apenas negociado com o Inter, sem acerto, antes de entrar em acordo com o Atlético-PR.