icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
08/06/2014
15:58

Emoção de sobra, homenagens e saudosismo no último adeus ao ídolo Fernandão. Ídolo de duas torcidas apaixonadas, as de Goiás e Internacional, que estiveram presentes durante o sepultamento do corpo do ex-atacante, que entrou para a eternidade na madrugada do último sábado após proporcionar tantas alegrias a milhões de fãs, que, agora, lamentam a sua precoce partida. Morto com apenas 36 anos, Fernandão foi enterrado na tarde deste domingo, no cemitério Jardim das Palmeiras, Goiânia, a sua cidade natal. Sob o caixão, bandeiras do Esmeraldino e do Colorado, além de diversas coroas de flores.

A despedida ao ídolo teve início em Goiânia ainda na noite de sábado, quando começou por volta das 20h, o velório do ex-atacante no Ginásio Luís Torres de Abreu, na Serrinha, sede do Goiás, clube que revelou Fernando Lúcio da Costa, o eterno Fernandão. Ex-companheiros de clubes, dirigentes, amigos e familiares, além do público em geral, não escondiam a emoção. Prova do quanto já fazia falta o ex-atleta, pai de família e até então comentarista esportivo.

O sepultamento, antes marcado para ter início às 15h, foi antecipado a pedido da família. Apenas Gaudino, pai de Fernandão, e Iarley, um dos maiores amigos do ex-jogador – além de ter sido seu companheiro no Inter e no Goiás –, acompanharam o corpo de Fernandão em cima do caminhão dos bombeiros que levou o caixão até o cemitério Jardim das Palmeiras, localizado em Goiânia. Minutos após o corpo do ex-atacante chegar ao local, o cortejo de cerca de 200 pessoas tomou conta da Quadra N, lote 969A, a, agora, última moradia do ídolo.

Cantos puxados por torcedores do Goiás e Internacional, aplausos dos presentes e mensagens de carinhos foram ouvidas antes de o caixão com as bandeiras dos dois clubes tão especiais para Fernandão ganhar seu destino. O ex-goleiro e hoje técnico Clemer também marcou presença, assim como o cantor Leonardo, célebre torcedor do Goiás. Foi difícil conter as lágrimas.

O capítulo final da história de Fernando Lúcio da Costa, o eterno Fernandão, foi escrito nesta tarde, para a tristeza de quem tinha o ex-atleta, pai de família, amigo e comentarista como exemplo. Ficou a certeza de que ele era muito querido por todos. Até por quem lamentou seus gols.

O luto que tomou conta de milhões poderá ser justificado para todo o sempre: Fernandão é e sempre será eterno para essas pessoas.