icons.title signature.placeholder Carlos Eduardo Sangenetto e Luiz Gustavo Moreira
25/11/2014
06:03

     
Adesivo contra o presidente Mauricio Assumpção (Foto: Reprodução)

Poucas vezes na história do futebol brasileiro se viu um presidente de clube deixar tão em baixa uma instituição quanto Mauricio Assumpção. Depois de quase seis anos à frente do Botafogo, ele terá uma surpresa nada agradável no último dia como mandatário. Cerca de 1.500 adesivos, com a hashtag #piorpresidentedahistória e uma imagem de Assumpção, além da frase "Adeus Mauricio" serão vistos pela sede de General Severiano durante o dia da eleição para o novo líder do Glorioso.

Idealizador da ação, Ricardo Rotenberg, que foi vice-presidente de futebol na gestão Bebeto de Freitas - que antecedeu Assumpção - teceu duras críticas ao presidente.

- Sempre fui contra o Mauricio. Sempre disse isso no clube e agora todo mundo me dá razão e diz "você estava certo". Toda uma evolução que tivemos desde 2002 foi por terra. Voltamos para Série B - disparou Rotenberg, que apoia a Chapa Azul, de Carlos Thiago Cesário Alvim.

MAIS BOTAFOGO:
> Montenegro: 'Nós estamos mais para Série C e sem advogado do Fluminense
> O primeiro dia de uma nova era no Botafogo pode ser nesta terça-feira

De acordo com ele, todas as chapas aprovaram a ideia. Elas já ganharam ou vão pegar os adesivos na terça-feira. A ideia é que todos que forem votar coloquem a peça colada na roupa. No início da manhã, a hashtag #piorpresidentedahistória deverá ser lançada na internet por alvinegros insatisfeitos.

Devido à péssima situação em que o clube se encontra atualmente, os quatro candidatos que disputam a presidência se dizem de oposição a Mauricio Assumpção e não pediram o apoio dele nas respectivas campanhas presidenciais. Esvaziado, Mauricio tampouco manifestou qualquer tipo de simpatia por qualquer um dos candidatos, mesmo com alguns deles tendo participado de sua gestão.

Existe até mesmo a dúvida sobre a presença dele em General Severiano para votar. Caso apareça na sede alvinegra, existe a possibilidade de ser vaiado e criticado pelos sócios do Glorioso.