icons.title signature.placeholder Caio Carrieri
18/03/2014
19:01

O selo de aprovação da dupla Valdivia e Bruno César no Palmeiras vem de quem entende muito da posição: Ademir da Guia, 71 anos, um dos maiores meias da história do futebol e quem mais atuou pelo clube, em 901 partidas.

O Divino aprovou a apresentação do dueto na vitória sobre a Ponte Preta, por 3 a 2, no último sábado, no Pacaembu, e também projetou evolução gradual da parceria.

- Não tem problema para eles jogarem juntos. O mais importante é eles estarem jogando, porque estando no campo, eles se conhecem. Com treino e jogo, eles podem jogar juntos. O Campeonato Paulista dá essa oportunidade para o entrosamento - disse o maior camisa 10 da história do Verdão, durante homenagem da WTorre nesta terça-feira, no Allianz Parque.

- O Valdivia teve vários problemas de contusão, mas é um craque. A torcida adora o Valdivia, e o importante é ele jogar. O Bruno César vem de fora, ainda não está adaptado à equipe, mas tem que jogar para poder entrar no ritmo e ter confiança própria e dos colegas. É uma fase que o técnico tem que colocá-lo para jogar, porque se não puser fica difícil para ele ter ritmo.

Companheiro de Ademir em títulos como os Brasileiros de 1972 e 1973, Leivinha corrobora a opinião do colega sobre os meio-campistas palmeirenses.

- Podem atuar em dupla tranquilamente. A bola é redonda e, se o cara sabe bastante, você arruma um jeito. Na Copa de 70 jogou todo mundo: Tostão, Rivellino...Mesmo que sejam da mesma posição, quem sabe jogar realmente tem que jogar, não tem que ficar fora.

Embora o Palmeiras lidere o Paulista na classificação geral e dependa de um empate com o Santos, na Vila Belmiro, no domingo, para terminar a primeira fase no topo, o ex-atacante cobra novas contratações para o Campeonato Brasileiro.

- O time conseguiu a pontuação maior e está se destacando junto com o Santos. No momento, para esse campeonato, o nível está bom, realmente dentro do conceito. Agora, para o Campeonato Brasileiro é evidente que as coisas podem se complicar. Há necessidade de reforços, sei que é difícil pela situação financeira do clube. Eu acredito nessa diretoria e pouco a pouco o Palmeiras estará disputando títulos.