icons.title signature.placeholder Fellipe Lucena e Thiago Ferri
29/11/2014
07:04

O Palmeiras saberá neste sábado quem será o seu presidente de 15 de dezembro de 2014 até o fim de 2016. Paulo Nobre tentará se reeleger contra Wlademir Pescarmona, e o clima de eleição já domina o clube.

Há acusações dos dois lados. O candidato da oposição, por exemplo, sustenta que Nobre se propôs a ser sócio de Walter Torre na arena quando era vice do clube, em 2008.

- Ele ia investir R$ 150 milhões, porque na época a obra estava orçada em R$ 300 milhões. Eu falei R$ 150 milhões? Olha que coincidência... (o valor é o mesmo que Nobre emprestou ao clube). Ele consultou os pares financeiros e veio com a história que o negócio não era bom. Não é uma contradição? Agora ele diz que o negócio é bom demais para a WTorre e ruim para o Palmeiras - disse.

Nobre confirma que cogitou investir na obra, mas não fala em valores e diz que a ideia nunca foi ser “dono” do estádio ao lado da empresa.
Outra reclamação do opositor é sobre o “uso da máquina”, já que o presidente promoveu encontros de campanha com sócios na Academia. Nobre justifica que usou o local por praticidade e fora de expediente.

Pescarmona foi diretor de futebol entre o fim de 2010 e o início de 2011 (FOTO: Ale Cabral/LANCE!Press)

O atual mandatário prefere não fazer ataques, mas seus aliados trabalham nos bastidores para desconstruir a imagem do concorrente. Muitos citam o vídeo que mostra Pescarmona em um churrasco com membros de uma torcida organizada dizendo que nunca vai abandoná-los – ele diz que não terá regalias.

Eles também têm ressaltado que Pescarmona empregou a filha, Fabíola, como professora de pilates do clube quando era diretor administrativo. O opositor confirma, mas salienta que não a indicou e que o salário estava de acordo com o mercado.

A votação, que pela primeira vez terá voto dos sócios e não de conselheiros, será das 10h às 19h no ginásio do clube. Como as urnas usadas são eletrônicas, a promessa é de apuração rápida, em cerca de uma hora.

A diretoria reforçou o efetivo de seguranças e acionou a Polícia para conter baderneiros. Membros da Mancha Alviverde que são sócios foram convocados pela torcida para um protesto logo no início do pleito, dentro do clube, contra Nobre.

À BOCA PEQUENA

Cinéfilo - O filme “300” motivou Nobre a escolher o número nas eleições do Palmeiras. Ele queria que a fonte utilizada no material de campanha fosse a mesma da obra, estilizada, mas diz que “o comitê não permitiu”. Segundo ele, o comitê também o aconselhou a abandonar o cavanhaque usado em sua época de rally. Pintar de verde, então, nem pensar.

Café com o presidente - O opositor Wlademir Pescarmona pretende fazer um encontro mensal com jornalistas se for eleito. Ele garante que não vai privar o trabalho da imprensa.

Nobre é presidente desde janeiro de 2013. Ganhou a Série B (FOTO: Reginaldo Castro/LANCE!Press)

AS PROPOSTAS DE CADA UM

Vices

NOBRE: Em caso de reeleição, os vices continuarão sendo os mesmos: Maurício Galiotte, Genaro Marino, Antonio Jesse Ribeiro e Victor Fruges.

PESCARMONA: Se a oposição vencer, os vices serão Luiz Gonzaga Belluzzo, João Gavioli, Carlos Degon e César Maluco.

Futebol

NOBRE: Não confirma, mas deve dispensar o diretor-executivo José Carlos Brunoro e o gerente Omar Feitosa. Ele quer ficar mais afastado do departamento, deixando-o com o vice Maurício Galiotte e com um diretor – Rodrigo Caetano é o preferido.

PESCARMONA: O opositor nem cogita manter Brunoro e Omar. O vice responsável pelo departamento será Degon, e há conversas com Rodrigo Caetano para ser diretor.

WTorre

NOBRE: Embora tenha se aproximado da construtora nos últimos meses, o presidente não está disposto a fazer acordo para acabar com a arbitragem, embora não descarte.

PESCARMONA: Tem boa relação com a construtora e diz que uma de suas primeiras medidas será tentar um acordo para acabar com a guerra jurídica.

Organizadas

NOBRE: Rompido com as organizadas desde abril de 2013, Nobre diz que não pretende mudar de postura: nada de regalias e prioridade total ao Avanti.

PESCARMONA: Em vídeo que vazou na internet, o candidato promete não abandonar as organizadas. Mas ele diz que não haverá regalias. A proposta é sempre destinar uma carga de ingressos para postos de venda, diminuindo a prioridade do Avanti.

Finanças

NOBRE: Diz que pretende parar de colocar dinheiro próprio no clube e promete ser maleável ao negociar o patrocínio.

PESCARMONA: Tem um grupo de empresários disposto a investir ao menos R$ 30 milhões em reforços.