icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
19/02/2015
13:46

O atacante Jô entrou em campo pelo Atlético-MG nesta quarta-feira, pela Libertadores, e teve a chance de acabar com um longo jejum de gols que já dura 313 dias, quando marcou contra o Zamora, na Liberta de 2015. O jogador não aproveitou a chance de voltar ao time e nos 74 minutos que ficou em campo na derrota por 2 a 0 para o Colo-Colo não conseguiu desencantar. Com isso, o centroavante já está há 2205 minutos sem balançar as redes. Para mostrar o quanto isso representa, o L!Net fez uma lista de coisas que o atacante poderia fazer nesse tempo.

Ficar bem limpo em tempos de crise hídrica

Em época de racionamento de água, especialistas dizem que o tempo máximo de um banho deve durar no máximo cinco minutos para ajudar a economizar o recurso natural. Sendo assim, daria para Jô tomar 441 banhos no tempo em que ficou sem marcar.

Assistir ao filme do momento várias vezes

Cinquenta Tons de Cinza chegou ao Brasil na quinta-feira passada e já levou milhares de espectadores às salas de cinema do país. Com o tempo que ficou sem marcar, o atacante do Galo poderia ver 17,6 vezes a adaptação do best-seller de E.L. James que narra a história picante de Christian Grey e Anastasia Steele.

Ver os mínimos detalhes da campeã do Carnaval do Rio

Com um desfile luxuoso e com poucos erros, a Beija-Flor foi eleita a campeão do Carnaval do Rio de Janeiro de 2015. No período de jejum de gols, Jô poderia ter assistido a 26,9 apresentações da escola da Baixada Fluminense na Sapucaí.

Jogar muitas partidas com prorrogação

Os jogos com prorrogações são sempre desgastantes para os atletas, que procuram sempre evitar os 30 minutos extras nas decisões. Com o tempo sem gols, daria para o centroavante do Galo jogar 18,3 partidas com prorrogação, como a que deu o título da Libertadores para o Galo em 2013, contra o Olímpia.

Voar de BH para São Paulo diversas vezes

Jô é natural da cidade de São Paulo e hoje em dia atua em Belo Horizonte. No tempo em que está sem gols, o centroavante do Atlético-MG poderia ir da capital mineira para São Paulo 29 vezes.

LEIA MAIS:
> Bernard pede para retornar ao Atlético-MG, mas alto salário é empecilho
> Levir Culpi acredita que faltou 'espírito de Libertadores' ao Atlético-MG
> Victor assume falha em revés do Atlético-MG e admite 'bola defensável'