LANCE!
14/06/2017
11:29
Rio de Janeiro

Campeão da Copa América pelo Paraguai em 1979, Brasileiro (1984) e Carioca (1984/1985) pelo Fluminense, Julio César Romero Insfrán, ou simplesmente Romerito, é um dos grandes ídolos da torcida tricolor pela técnica refinada e pela raça com a qual dividia cada bola e cada jogada, atributos que o credenciam como um dos homenageados pela TIM, patrocinadora dos quatro grandes clubes do Rio de Janeiro, como craque TIM 4G do passado. Atuou no clube das Laranjeiras entre 1985 e 1989, tendo vestido a camisa do Flu 215 vezes, com 57 gols.

Romerito começou a carreira no Sportivo Luqueño, da sua cidade-natal, Luque. Com apenas 17 anos, já era o destaque do time e assim chegou à seleção de base. Em 1979, o Paraguai tinha um duríssimo compromisso pela frente. Segurar o Brasil no Maracanã para chegar à final da Copa América. Um certo ponta-direita talentoso, de nome Romerito, que fazia sua estreia pela seleção, foi autor de um dos gols do empate em 2 a 2 que eliminou a Seleção Brasileira em casa e levou o Paraguai à decisão contra o Chile. Naquele ano, os paraguaios comemoraram a segunda Copa América da história do país.

As belas atuações com a camisa paraguaia renderam a Romerito um convite para jogar no New York Cosmos, dos Estados Unidos, onde atuou ao lado de Pelé e Franz Beckenbauer. De lá, transferiu-se para o Fluminense, já como uma das grandes contratações da época. Apesar de franzino (tinha 1,73m de altura e pesava 68kg), nunca fugiu das divididas e encarava os ávidos marcadores sem se acovardar. Uma dessas divididas lhe custou uma fratura no perônio da perna esquerda e três meses longe dos gramados no fim de 1986.

No Fluminense, notabilizou-se pelos gols importantes, como na final do Brasileiro contra o Vasco, em 1984, e na decisão do Carioca de 1985, contra o Bangu.
Romerito trocou as Laranjeiras pelo Barcelona (ESP), mas pegou um time em crise e pouco apareceu. Logo em seguida, retornou ao Paraguai para defender o Olimpia. Encerrou a carreira no clube onde começou a jogar, o Sportivo Luqueño, em 1998. Apesar de morar no Paraguai, até hoje é figura constante nas Laranjeiras, onde é ainda reconhecido como ídolo e tratado com carinho pela torcida tricolor.

Patrocinadora de Botafogo, Flamengo, Fluminense e Vasco, a TIM homenageará até o fim de 2017 jogadores do passado dos quatro grandes clubes do Rio de Janeiro, que, de forma geral, apresentaram os atributos “G” (Garra, Gênio, Gigante, Grandeza) quando atuavam. Periodicamente, contaremos um pouco da história destes craques e o motivo deles terem sido escolhidos. Afinal, os quatro maiores times cariocas merecem a maior cobertura 4G do Rio e as melhores histórias para serem compartilhadas.