Venus Williams

Venus Williams com o troféu e o mascote de Zhuhai.

Tênis News
01/03/2016
19:09
Indian Wells (Estados Unidos)

A ex-líder do ranking feminino, Venus Williams, escreveu para o site "Players Tribune" para explicar a decisão de voltar a jogar em Indian Wells após 15 anos, devido a insultos racistas e desrespeito recebido após uma partida contra a irmão em 2001.

Com sua sinceridade habitual, a mais velha das irmãs Williams escreveu como é ser a irmã mais velha de alguém, de abrir portas, bater primeiro a cabeça e enfrentar problemas para que a(s) mais nova(s) não os enfrente.

"Quando Serena decidiu jogar Indian Wells ano passado, eu estava orgulhosa dela. Sobre sua decisão, ela me disse que tinha lido muitas coisas sobre Nelson Mandela. Tudo o que aprendeu sobre ele, pensando nele - processando todos esses questionamentos complexos sobre sua passagem e seus princípios. Sobre perdão", escreveu.

Venus destacou que quando a irmã se apaixona por algo, seus olhos não escondem, e aprender sobre Mandela sempre foi algo que a líder da WTA levou a serio. Nas palavras de Venus, voltar a Indian Wells para Serena foi "colocar em prática o que aprendeu das experiencias" do líder sul-africano.

"Eu estava orgulhosa de Serena por inúmeras razões: pelo sentido que demonstrou por nossa complicada história em Indian Wells; por sua decisão com tanta convicção; por falar de sua decisão de maneira tão graciosa e clara; e , claro, por jogar exatamente com a mesma graça e clareza", pontuou

"Eu sabia que estaria lá por Serena, não importa o que - porque é isso que irmãs mais velhas fazem. Estão lá", escreveu e prosseguiu "Eu a assisti e torci por ela. E estava muito, muito orgulhosa".

"Mesmo orgulhosa, a verdade é: meus sentimentos não haviam mudado. Eu não pensei que jogar Indian Wells novamente fosse algo que eu ainda faria", pontuou a ex-líder do ranking declarando que mesmo emocionada com o momento da irmã tinha uma relação 'instintiva' para com a situação.

Venus conta que sempre foi mais competitiva que a irmã, entretanto, Serena consegue lidar melhor com as próprias emoções.

Sobre jogar no deserto, Venus escreveu: "Minhas lembranças do que aconteceu em 2001 seguem vívidas. Recordo-me de meu jogo de quartas de final, contra Ele Dementieva, como se fosse ontem. 6/0 6/3, realmente uma boa vitória contra uma ótima jogadora. Lembro da dor no meu joelho causada por uma lesão, e o como queria jogar a semi contra Serena - antes de finalmente aceitar que não seria capaz. Lembro das acusações contra mim, minha irmã e nosso pai. Recordo-me da reação do público, estava andando para minha cadeira, durante o jogo da Serena na final. E me lembro de como não poderia compreender porque milhares de pessoas podia agir daquela forma - para com uma menina de 19 e outra de 20 anos, tentando o seu melhor".

"Há coisas que, se você passa por elas com uma certa idade, jamais esquece", destaca Venus pontuando que com o passar dos anos ela se lembra mais de 'como se sentiu' do que dos atos que foram feitos. "Lembro-me de quão ferida me senti. Lembro da minha confusão, decepção e raiva".

Venus criticou a cobertura feita do momento, em que nem ela ou Serena foram respeitadas enquanto seres humanos. Que contavam a história como ela chamaria mais a atenção e não como havia sido. Injustiçada, Venus escreveu: "Lembro-se de deixar Indian Wells 2001 sentindo que não era bem vinda ali".

Aí, de acordo com a norte-americana, ela viu a irmã emocionada, sendo recebida de braços abertos pelo público, sendo bem vinda e ficou orgulhosa. Na primeira vez, de poucas, em que Serena abriu caminhos para ela.

"Jogarei Indian Wells esse ano - 15 anos após minha última participação, um ano após a última de Serena. À medida em que o torneio se aproxima, estou a procura de mais. Estou ansiosa pela torcida maravilhosa da Califórnia. Ansiosa para uma das nove melhores competições da WTA. Estou ansiosa para ver os fãs - que desempenham um papel importante a tornar ano passado ainda mais especial", revela.