Maria Sharapova

Maria Sharapova coletiva antidoping

TÊNIS NEWS
11/03/2016
23:59
Los Angeles (EUA)

Maria Sharapova, número sete do ranking e suspensa preventivamente a partir deste sábado por doping pela substância Meldonium desabafou nas redes sociais e negou ter sido avisada cinco vezes sobre a inclusão do medicamento na WADA.

A tenista abriu o coração e afirmou que recebeu apenas um comunicado direto no dia 22 de dezembro que confessou ter tido desleixo para abrir e conferir.

"Reportagens dizem que fui advertida cinco vezes sobre o banimento do medicamento que estava tomando. Isso não é verdade e nunca aconteceu.

Isso é uma distorção na verdade das comunicações que nos foram providas ou postadas. Não quero dar desculpas por não saber sobre o banimento. Já lhes disse que recebi um email no dia 22 de dezembro de 2015 com o assunto "Principais Mudanças no Programa Anti-Doping para 2016". Deveria ter prestado mais atenção a isso. Mas e as outras 'comunicações' ? Foram escondidos em newslletters, websites.

No dia 18 de dezembro recebi um email com assunto Notícias aos Tenistas que continha uma newsletter com viagem, próximos torneios, ranking, estatísticas, boletim, os aniversariantes e sim informação antidoping. Nesse email se o jogador quisesse algo específico sobre remédios adicionados seria necessário abrir o Player News, lever uma dúzia de links relacionados, achar no Player Zone, botar a senha, o username, ler uma página inicial com diferentes links com vários tópicos e achar Informação sobre Mudanças do AntiDoping de Tennis em 2016. Em outras palavras, para estar ciente dessa advertência seria preciso clicar em um monte de coisa. Acredito que alguém da mídia possa chamar isso de advertência. A maioria iria achar difícil de achar.

Teve também um cartão distribuído aos atletas em vários torneios no começo de 2016 quando o banimento entrou em efeito. O documento tinha milhares de palavras, muitas técnicas e pequenas. Deveria ter me informado ? Sim. Mas se eu tivesse visto esse documento você saberia o que estou falando.

De novo, sem desculpas. Mas é errado afirmar que fui advertida cinco vezes."

A musa continuou sua reclamação coma notícia do fabricante do remédio Mildronato que tem a substância Meldonium.

"Tivemos manchetes também que diziam 'De 4 até 6 semanas é o tratamento normal do medicamento do caso de Maria Sharapova. Essa notícia foi repetida por muitos repórteres que falharam ao não dizer aos seus leitores o resto da história que o fabricante informa que "O tratamento em curso pode ser repetido duas ou três vezes ao ano. Somente médicos podem avaliar a condição de saúde do paciente e dar ciência que ele deve usar meldonium por um período mais longo".

Isso foi exatamente o que fiz. Não tomei o remédio todo dia. tomei de acordo com o que meu médico recomendou, eu tomo e pego doses baixas recomendadas".

Por fim a russa afirmou não ter mentido e ainda insinuou que preferiu ser aberta ao invés de mascarar uma lesão pelo período que ficará fora: "Sou orgulhosa de como jogueo o jogo, estou sendo honesta e estou me adiantando (à punição) Não quero pretender estar machucada e escondar a verdade sobre meu doping. Estou ansioso para que a ITF ouça quando receber minhas condições médicas e espero poder jogar novamente. Não importa o que for, quero que vocês, meus fãs, saibam a verdade sobre os fatos", finalizou.

Sharapova será julgada no dia 23 sobre o caso em Londres. Ela pode tomar no máximo 4 anos se o tribunal entender que tomou intencionalmente o medicamento e para ganho de performance ou até 2 anos de não teve a intenção.