Andy Murray

Andy Murray na coletiva de imprensa antes do Australian Open. Crédito: Ben Solomon/Tennis Australia

Tênis News
19/01/2016
08:47
Melbourne (Austrália)

Após vencer na estreia do Australan Open, o escocês Andy Murray atendeu a imprensa em Melbourne Park e como não podia ser diferente foi muito questionado a respeito das denúncias de vendas de resultados de jogos por tenistas top 50.

O tema de venda de resultados foi abordado na coletiva por um jornalista que questionou o escocês se ela estava ciente das denuncias feitas pela BBC e a BuzzFeed. "Se há corrupção no esporte, quero saber", declarou Murray.

"Obviamente algumas coisas que li ontem eu realmenye nao estava ciente. Outras sim. Quero dizer que como jogador você apenas quer estar consciente de tudo que está acontecendo. Nós merecemos saber", destacou o escocês lembrando que nem todas as denúncias feitas serão comprovadas por "não serem verdade, outras sim".

Sem querer entrar em detalhes sobre o que conhecia e desconhecia das denuncias Murray revelou que conhecia as informações da venda de resultado de jogos em Sopot (Polônia) e desconhecia o cartel de apostas da Sicília (Itália).

O campeão olímpico disse desconhecer que tantos jogos de tênis eram acompanhados por casas de apostas.

Ao contrário de Novak Djokovic, que comentou ter sido procurado em 2007 para vender um jogo, Murray disse nunca ter sido abordado neste sentido em toda a carreira.

Murray destacou ainda que sempre estev consciente deste tipo de situação poderia ocorrer e pediu que jovens jogadores precisam de mais orientação e educação. Para Murray, se orientados aos 15, 16 ou 17 anos, os jogadores ião para o circuito profissional cientes do que pode acontecer e como proceder. Para ele, o entorno dos atletas também influencia.

O escocês cobrou proatividade das autoridades do esporte para educar os jovens atletas. Para Murray, não basta acreditar que os jovens de informaram pelo que "sai" na imprensa. Ele disse desconhecer se a ATP tem algum mecanismo para esse tipo de educação dos atletas e ao ser recordado que isso faz parte do programa de formação 'Universidade ATP', Murray disse não recordar-se.

Murray comentou ainda que acha hipocrizia um torneio de tênis ser patrocinado por uma empresa de apostas, até porque o tenista não acredita que atletas estão autorizados a serem patrocinados por esse tipo de empresa, mas torneios sim. "Não sei como tudo funciona. Acho que é um pouco estranho", resumiu.

Por fim, ao ser questionado se estava chocado ao ver denuncias envolvendo top 50, Murray foi sucinto: "Não. Não realmente".