Thiago Wild

Thiago Wild. Crédito: Cristiano Andujar

TÊNIS NEWS Por Leonardo Mamede
27/04/2016
15:02
Rio de Janeiro (RJ)

O Rio de Janeiro, sedia, até sábado, o Sul-americano entre equipes da categoria 16 anos. O Brasil está muito bem representado, com os jovens Thiago Wild, Mateus Alves e João Lucas Reis, comandados pelo o capitão, Luiz Peniza.

O paranaense Thiago Wild, natural de Marechal Cândido Rondon, tem a melhor colocação no ranking mundial juvenil até 18 anos [160º] entre os integrantes da equipe. Ele falou sobre sua decisão de sair de casa e vir para o Rio de Janeiro, há um ano e oito meses, para treinar na equipe Tennis Route, comandada por João Zwetsch e Duda Matos, e como isso mudou seu jogo.

“Para mim, foi muito bom. Eu tinha 14 anos, estava começando a ‘virar gente’, jogar tênis num nível um pouco mais alto. Conheci novos jogadores, treinadores novos. Isso [a decisão] me deu mais maturidade, mais responsabilidade, e automaticamente se refletiu na quadra: meu nível de jogo subiu, minha mentalidade também”.

Depois, indagado sobre a experiência de treinar com jogadores como Thiago Monteiro, Marcelo Demoliner e Fabiano de Paula, ele destacou que os companheiros de treino podem ajudá-lo a atravessar mais facilmente o ‘caminho das pedras’.

“É sempre bom, né? Eles já passaram por esta fase pela qual estou passando, dos 16 anos, e podem me ajudar a encurtar a transição juvenil-profissional”.

O tenista foi campeão, em 2014, do prestigioso torneio BNP Paribas Cup, um dos maiores do Mundo, em que a final foi disputada em Roland Garros. Além disso, Wild disputa, desde o ano passado, a categoria 18 anos. Neste ano, ele conseguiu chegar às quartas de final da Copa Gerdau, importantíssimo campeonato jogado em Porto Alegre, um dos nove maiores do circuito. Questionado sobre ser uma referência no tênis de base nacional, da mesma forma que os jogadores mais experientes da equipe o são para ele, Thiago ficou encabulado.

“Realmente foram bons resultados. Ganhar o BNP Paribas era algo que ninguém tinha feito até agora. Acho que posso servir de exemplo para muita gente, assim como muitos são exemplos para mim”, disse.

Depois do Sulamericano, que serve como qualificatório para a Copa Davis Júnior, que será disputada em Budapeste, na Hungria, o 160º do ranking juvenil embarca, no dia 4 de maio, para a Europa, onde jogará a Gira ITF. No ano que vem, entretanto, a promessa do tênis nacional comentou que se concentrará mais na transição para a ATP, após conversa com sua equipe.

“No ano que vem, meu foco será o profissional. A princípio, no juvenil, meus técnicos e eu decidimos jogar somente os Grand Slams e torneios GA [os eventos mais importantes da categoria, depois dos majors]. Fora isso, o foco será começar a dar mais ênfase ao profissional”, completou.