Federer x Cilic

Roger Federer (Foto: AFP/JUSTIN TALLIS)

TÊNIS NEWS
06/07/2016
13:39
LONDRES (ING)

O suíço Roger Federer, 3º da ATP, conseguiu uma virada espetacular para cima do croata Marin Cilic, 13º, e está na semifinal de Wimbledon pela 11ª vez na carreira. Em 3h17min, o heptacampeão na grama sagrada marcou 6/7(4), 4/6, 6/3, 7/6(9) e 6/3.
Com o resultado, ele alcança as 307 vitórias em Majors, ultrapassa a tcheca Martina Navratilova e torna-se isoladamente o maior vencedor em partidas de Grand Slam.
Agora, nas semifinais, ele pega o canadense Milos Raonic, 6º favorito, que fez 6/4, 7/5, 5/7 e 6/4 sobre o americano Sam Querrey, algoz do sérvio Novak Djokovic e de Thomaz Bellucci.

A primeira metade do duelo foi muito dura para o suíço. Dominado pelo tenista da Croácia, Roger sofreu com os quase imparáveis saques do oponente, além de uma direita matadora que incomodava demais seu ponto fraco, o backhand. Depois de Cilic lhe dar presentes, o que aconteceu a partir do meio do terceiro set, ele voltou no jogo e construiu uma das maiores viradas de sua gloriosa carreira.
Os três primeiros games do jogo foram dominados pelo saque de tal forma que os recebedores não conseguiram jogar. Essa era a tona que se esperava do confronto. Depois, a partida começou a esquentar, os pontos ficaram disputados, e a primeira emoção veio no quinto game, quando Cilic errou três bolas e cedeu 15/40. Uma boa ida à rede e um ótimo saque tiraram o croata das cordas, no entanto, e ele manteve sua maior arma intocada.
Depois disso, os tenistas voltaram ao “modo automático” no saque e desandaram a executar aces, levando a etapa a um inevitável tiebreak. Nele, Marin jogou demais, abrindo 5/0 com duas miniquebras, depois de ser agressivo desde a devolução e entrar na quadra para atacar a a esquerda de Roger. O terceiro do mundo ainda conseguiu salvar um set point no saque do rival em 6/2, mas sofreu nova miniquebra no 4/6 e perdeu o primeiro set.
E a segunda parcial começou mal para o suíço. Logo no 1/1, Cilic seguiu sua estratégia à risca e jogou de forma perfeita, fugindo para bater de direita cruzada, castigando a esquerda de Federer, que acusou o golpe e errou no primeiro break point cedido ao croata.
Na sequência, um game errante de Marin, que cometeu duas duplas faltas, voltou em 40/30, mas errou duas bolas e deu um break. O suíço, contudo, errou um backahnd bobo numa devolução de segundo saque. O tenista dos Balcãs, é claro, não perdoou, sacou bem e se livrou da encrenca. Mais dois games de serviço irrepreensíveis do croata e Roger só foi ter uma nova oportunidade no 5/4, quando abriu 0/15 e teve uma esquerda facílima, em frente à rede, para abrir 0/30. Mas ele errou nessa e em mais duas esquerdas, e Cilic não perdoou: 2x0.
A terceira parcial começou equilibrada e permaneceu igual até o 3/3. No sétimo game, o croata executou duas grandes direitas e contou com um erro do heptacampeão no segundo ponto: 0/40. Federer estava em apuros, e o break significaria, possivelmente, sua eliminação, dentro de alguns minutos. Mas não foi isso que ocorreu. O nono favorito errou uma esquerda e viu o adversário conseguir uma boa direita e um bom saque alto, o famoso “american twist”. Salvando os três break points e confirmando, o melhor ainda estaria por vir para o maior vencedor de partidas em Grand Slam, empatado com Navratilova.
No game seguinte, o suíço abriu 0/30, mas o campeão do US Open 2014 sacou demais e virou para 40/30. Todavia, duas esquerdas erradas do 13º colocado deram o break point ao 3º do mundo. Então, uma grande surpresa: dupla falta de Marin Cilic. Após perder a chance do jogo no sétimo game, o croata entregou a primeira quebra do jogo nas mãos de um dos maiores tenistas da história.
Federer também não teve piedade no momento de fraqueza do concorrente, e, com bons saques, venceu a parcial: 2x1.
O quarto set começou nervoso. Sacando em 1/2 , Federer salvou dois break points. No quarto game, Cilic enfrentou a mesma situação, mas foi perfeito ao disparar quatro saques indefensáveis, três aces.
Novas emoções só foram vistas a partir do 4/5, mas foram as maiores do embate. Primeiro, o campeão de 17 slams salvou um match point no décimo game, sacando de forma inteligente. Depois, no 5/6, andando atrás durante todo o game, o favorito conseguiu mais um ace, fechando o game, em seguida, com três saques inalcançáveis.
O tiebreak foi literalmente de tirar o fôlego dos torcedores. Os atletas trocaram miniquebras no 1/1. Em 3/4, a esquerda de devolução de Federer foi marcada fora, mas o desafio mostrou bola boa. Sacando em 6/4, então, Roger errou uma direita fácil, no meio do T. O serviço do croata lhe deu o terceiro ponto do jogo em 6/7, mas ele errou a devolução. No terceiro set point do ex-líder do ranking, uma ótima passada de Marin, que vira-se pressionado com um eficiente slice profundo de Federer na sua esquerda.
A emoção não parava, e Cilic cometeu nova dupla falta em momento decisivo no 8/8. Pensa que acabou? Não! No saque, o heptacampeão de Wimbledon errou na direita. Finalmente, os dois últimos pontos. Depois de balançar Federer pela quadra em um excelente ponto jogado por si, o 13º da lista masculina errou na direita. Para finalizar, em seu próprio serviço, ele errou uma direita não forçada. O que parecia improvável dois sets antes realmente virou realidade: Roger Federer estava de volta.
E o set decisivo foi nervoso desde o primeiro game. No sexto game, com Cilic servindo 2/3, Federer conseguiu uma passada incrível de esquerda e, com um winner no 30/30, alcançou o break point. Mas, justamente na hora mais importante, o backhand falhou. Marin, naturalmente, tratou de manter o saque com dois grandes serviços.