icons.title signature.placeholder TENIS NEWS
icons.title signature.placeholder TENIS NEWS
23/08/2015
16:17

Em uma partida de altíssimo nível com duração de 1h30, o suíço Roger Federer venceu seu sétimo título no Masters 1000 de Cincinnati contra o sérvio Novak Djokovic, dando uma verdadeira aula de tênis. As parciais foram de 7/6(1) 6/3.

O confronto direto, de uma série de 40 jogos, marcava 20 vitórias para cada tenista. Djokovic buscava vencer o único Masters 1000 que lhe faltava para tornar-se o primeiro tenista da história a ter o ‘Career Golden Masters’ – um título em cada Masters 1000 e um título no World Tour Finals. Federer, por outro lado, buscava o heptacampeonato no torneio americano bem como a recuperação do segundo posto no ranking mundial.

E assim foi, com um torneio impecável onde não teve seu serviço quebrado uma vez sequer e não perdeu um set, aos 34 anos, o suíço Roger Federer fez história mais uma vez.

Exatamente como fez o todo o torneio, Federer abusou das devoluções dentro da quadra. Já no terceiro game da partida, a tática fez efeito dando três break points ao suíço, os três salvos por Djokovic. O sérvio teve muita dificuldade para confirmar seu serviço até o 4/3, quando Federer tirou um pouco o pé do acelerador e deixou correr mais solto. Confirmando seus serviços sem ameaças, o suíço forçou o tie-break e, novamente, sobrou em quadra vencendo por 7/1 rapidamente e sem problemas.

O estrago que a estratégia do suíço fez na cabeça do sérvio continuou dando resultado no segundo set, quando ele conquistou uma quebra logo no segundo game e confirmou em seguida para abrir 3/0. Ampliando sua vantagem para 5/2, o suíço teve chances de liquidar a partida no oitavo game, mas não conseguiu e sacou para fechar em 6/3.

Em uma partida de altíssimo nível com duração de 1h30, o suíço Roger Federer venceu seu sétimo título no Masters 1000 de Cincinnati contra o sérvio Novak Djokovic, dando uma verdadeira aula de tênis. As parciais foram de 7/6(1) 6/3.

O confronto direto, de uma série de 40 jogos, marcava 20 vitórias para cada tenista. Djokovic buscava vencer o único Masters 1000 que lhe faltava para tornar-se o primeiro tenista da história a ter o ‘Career Golden Masters’ – um título em cada Masters 1000 e um título no World Tour Finals. Federer, por outro lado, buscava o heptacampeonato no torneio americano bem como a recuperação do segundo posto no ranking mundial.

E assim foi, com um torneio impecável onde não teve seu serviço quebrado uma vez sequer e não perdeu um set, aos 34 anos, o suíço Roger Federer fez história mais uma vez.

Exatamente como fez o todo o torneio, Federer abusou das devoluções dentro da quadra. Já no terceiro game da partida, a tática fez efeito dando três break points ao suíço, os três salvos por Djokovic. O sérvio teve muita dificuldade para confirmar seu serviço até o 4/3, quando Federer tirou um pouco o pé do acelerador e deixou correr mais solto. Confirmando seus serviços sem ameaças, o suíço forçou o tie-break e, novamente, sobrou em quadra vencendo por 7/1 rapidamente e sem problemas.

O estrago que a estratégia do suíço fez na cabeça do sérvio continuou dando resultado no segundo set, quando ele conquistou uma quebra logo no segundo game e confirmou em seguida para abrir 3/0. Ampliando sua vantagem para 5/2, o suíço teve chances de liquidar a partida no oitavo game, mas não conseguiu e sacou para fechar em 6/3.