Kristina Mladenovic, 112 do mundo, chocou a todos ao derrotar a número 2 do mundo, Na Li, logo na estreia de Roland Garros (Foto: Miguel Medina/AFP)

Kristina Mladenovic (Foto: Miguel Medina/AFP)

TÊNIS NEWS
28/08/2016
10:42
PARIS (FRA)

Crise no tênis francês. Em reunião da Federação Local (FFT) no sábado, ficou decidida a suspensão de Caroline Garcia, Kristina Mladenovic e Benoit Paire de competições por equipes, além do corte de quaisquer ajudas financeiras aos atletas.

Em nota, a FFT declarou que os três “violaram a Instituição Federal e causaram danos à imagem do tênis”.

O mais grave acerca da decisão é que a França disputa o título da Fed Cup, em novembro, contra a República Tcheca, e Garcia e Mladenovic, além de formarem a dupla número um do mundo no ranking da WTA e serem as atuais campeãs de Roland Garros, são, desde o início do ano, as únicas jogadoras utilizadas em jogos do evento. No entanto, uma nova e final decisão sobre as suspensões será dada em 24 de setembro.

No caso das mulheres, a suspensão veio por severas reclamações nas redes sociais sobre a “incompetência” da FFT, ao não avisar Caroline e Kristina, cabeças de chave número um no Rio de Janeiro, de que elas deveriam entrar em quadra usando roupas idênticas, uma regra para todas as duplas.

As duas não tinham conhecimento da legislação e foram ameaçadas com a desclassificação pela ITF. Mladenovic acabou emprestando roupas a Garcia, mas o fato de elas terem patrocinadores diferentes criou um grande mal-estar – Garcia teve que arrancar a logo da marca.

No fim, elas foram eliminadas por Misaki Doi e Eric Hozumi, do Japão, e culparam o incidente, que custou “muita energia” e causou “muito stress desnecessário”, segundo as atletas, para explicar a derrota.

Por sua vez, Benoit Paire, já conhecido por casos de indisciplina e mau comportamento, foi expulso da delegação francesa imediatamente após sua eliminação na chave de simples dos Jogos Olímpicos, por quebrar uma série de regras, o que configurou uma “falta de respeito”, segundo Arnaud Di Pasquale, diretor-técnico da Federação Francesa. Na época, Paire ironizou a decisão e disse estar feliz por ir a Cincinnati, relatando que as Olimpíadas “não eram aquilo que ele pensava ser”. Antes, ele já havia demonstrado pouca vontade de vir aos Jogos, e acabou voando ao Rio somente por conta da desistência de Richard Gasquet, lesionado.