TÊNIS NEWS
01/05/2016
14:42
ISTAMBUL (TUR)

O argentino Diego Schwartzman, 87º da ATP, venceu, na tarde deste domingo, o búlgaro Grigor Dimitrov, 29º do ranking, venceu, por 6/7(5), 7/6(4) e 6/0, em 2h47, e é o campeão do ATP 250 de Istambul, jogado sobre o saibro e que distribui mais de 426 mil euros em prêmios.

Diego conquista o primeiro título da carreira na primeira final que disputou. O argentino cria uma relação especial com a capital turca, já que no ano passado fora parado somente por Roger Federer, eventual campeão, em duríssima semifinal.

Dimitrov, por sua vez, buscava seu 5º título de ATP, o primeiro em quase dois anos, mas não jogou bem nos momentos decisivos, mais uma vez, e terminou a partida de forma melancólica, esquecendo totalmente o respeito ao adversário, o mais importante valor do jogo em qualquer esporte.

O JOGO
A partida foi muito estranha. Os dois tenistas trocaram oito quebras, ao todo, na primeira parcial. Dimitrov andou sempre na frente, sacou em 5/4 e 6/5, mas só fechou no tiebreak, após ter 5/1 e quase deixar escapar a vantagem.

No segundo set, menos quebras, mas ainda sim muita irregularidade. O ex-namorado de Serena Williams e Maria Sharapova fez 3/0, teve chances de conseguir a segunda quebra, mas não concretizou. Ele perdeu a vantagem sacando em 3x1, mas recuperou-a e sacou em 5/3 para finalizar o jogo. Novamente com dificuldades para fechar, mais uma vez falhou. Para piorar, o búlgaro começou a sentir câimbras nas pernas, a partir do 5/5.

O segundo set, então, também foi ao tiebreak. Desta vez, entretanto, depois de todos os minibreaks, Schwartzman fez 7/4.

E o argentino começou arrasador na terceira e decisiva etapa. Ele logo conseguiu duas quebras e pôs 5/0 no placar, enquanto Dimitrov, a essa altura, já tinha quebrado duas raquetes e perdido um ponto como penalidade.

No sexto game, o top 30 sacava para se manter na partida, mas, quando perdeu o ponto no 40/30, dirigiu-se ao banco para pegar outra raquete, parou, pensou e destruiu seu instrumento de trabalho, a terceira na partida. Como a terceira advertência no mesmo jogo implica na perda de um game, o jogo estava acabado na lamentável atitude. Sabendo disso, Grigor apertou a mão do árbitro de cadeira e sentou-se no banco para esperar a premiação.

O jogador, que por muito tempo foi conhecido como uma versão mais nova de Roger Federer, por causa da semelhança na forma como os dois executam seus movimentos, esqueceu, neste domingo, de copiar o suíço também na atitude.