Arthur Ashe Stadium (Foto: AP)

Arthur Ashe Stadium (Foto: AP)

LANCE!
01/03/2016
19:21

A Federação Norte-Americana de Tênis, que organiza anualmente o US Open, divulgou nesta semana imagens do teto retrátil que foi construído na principal quadra do complexo Billie Jean King, a Arthur Ashe, e falou dos planos de manter ao ar livre.

Em reportagem da agência de notícias Associated Press, a USTA comentou que usará os dados da última edição do torneio nova-iorquino e dados meteorológicos pata definir pelo fechamento ou não do novo recurso técnico. "Gostaria que tivéssemos tido um tempo mais ruim, se assim o fosse estaríamos melhor preparados para este ano", declarou Gordon Smith, diretor-executivo da USTA.

Informações oficiais repassadas pelas USTA dão conta que a segunda metade do teto retrátil da Arthur Ashe e a nova Grandstand estarão prontos antes da estreia da competição em 29 de agosto.

Smith contou à AP que recebeu conselhos dos diretores de Wimbledon e do Australian Open, que já possuem teto retrátil em suas principais quadras, sobre o uso do recurso para preservação da programação de ao menos os principais jogos da competição em caso de chuva.

A ideia da USTA é usar o teto apenas em caso de chuva e não de extremo calor como acontece em Melbourne. Além disso, deve implementar o plano de ter uma equipe de meteorologia dentro do complexo com capacidade para prever chuva com 20 ou 30 minutos de antecedência.

"Queremos ser um torneio ao ar livr; queremos manter o teto aberto o quanto for possível. Vamos correr alguns riscos de deixar a chuva cair em quadra, com objetivo de manter esse torneio em quadra descoberta, o mantendo em uma competição justa para todos", declarou Smith.

O diretor de operações do complexo Billie Jean King Tennis Center, Danny Zausner, contou à reportagem da AP que caso molhe a paralisação da partida será de 30 minutos, em caso de fechamento prévio, antes da chuva cair, 15 minutos serão necessários para o fechamento completo do teto e o re-estabelecimento das partidas.