Azarenka venceu de virada (Foto: Greg Wood/AFP)

Azarenka (Foto: Greg Wood/AFP)

TÊNIS NEWS
14/01/2016
14:43
MELBOURNE (AUS)

Ansiosa para se redimir de dois conturbados anos dentro e fora da quadra, Victoria Azarenka está sendo novamente cotada como uma das grandes favoritas para o Australian Open, que se inicia neste domingo, após o título em Brisbane.

A conquista no preparatório australiano foi a primeira em mais dois anos e meio. Em agosto de 2013, ela venceu o torneio de Cincinnati. Em Brisbane, ao vencer na final a 10ª do ranking, a alemã Angelique Kerber, a bielorussa garantiu para si a posição de 16ª cabeça de chave no Grand Slam.
Ainda que Kerber tenha restado como melhor pré classificada após as desistências de Maria Sharapova e Simona Halep – a quem Azarenka teria enfrentado na segunda fase -, contundidas, não há dúvidas de que seu jogo está voltando ao nível que a fez ser a número um do mundo e vencer o Australian em 2012 e 2013. No último torneio, Vika, como os fãs a chamam, perdeu apenas dezessete games.

Azarenka, que recentemente falou da batalha contra a depressão, disse que o título a deu força para ir em frente e conquistar mais torneios, mas não sentia que “seu mundo acabaria, caso não conseguisse vencê-lo”. “Não sei se me sinto aliviada”, alegou a bielorussa.

Em 2014, a tenista teve uma lesão no pé que a restringiu à disputa de apenas nove torneios na temporada, o que a fez enfrentar grandes jogadoras logo no início dos campeonatos. Tal combinação resultou em derrotas e queda no ranking. Estas dificuldades também coincidiram com o término de seu namoro com o músico americano Redfoo, e as constantes batalhas contra lesões a imergiram na depressão.

No último Australian Open, a jogadora entrou como a 44ª colocada na lista da WTA e enfrentou três favoritas nas quatro primeiras rodada, perdendo para Dominika Cibulkova nas oitavas de final.
Azarenka conseguiu jogar quatorze torneios em 2015, mas teve a vida dificultada novamente por lesões e disse, após Brisbane 2015, que estava “machucada” e “dolorida” virtualmente para toda a temporada.

Na tentativa de voltar a seu melhor, Vika reconheceu a necessidade de tratar-se e de fazer uma reabilitação. Ela disse que a atitude de contratar novos técnico e parceiro de treino valeu a pena, e que manter sua vida pessoal longe das quadras também a tem ajudado.

Se conseguir deixar seus problemas no passado, Victoria Azarenka pode uma séria ameaça na Austrália, uma das poucas jogadores com poder e velocidade para desafiar a número um do mundo, Serena Williams, que reina absoluta no circuito.
As duas se enfrentaram três vezes no ano passado e, mesmo que Serena tenha vencido as três, todas foram para o terceiro set, com a americana tendo que virar o jogo em duas oportunidades.

A ex número um do mundo Chris Evert acredita que o maior desafio para Williams pode ser a rejuvenescida Azarenka. “Creio que ela [Azarenka] é uma jogadora sobre quem deveríamos estar falando e focando neste momento. Ela certamente ama a Austrália, venceu o Australian Open duas vezes. Definitivamente, Azarenka jogou muito bem, no último ano, mas esbarrou várias vezes em Serena. Certamente foi quem mais a desafiou na WTA. Com certeza é uma das duas ou três favoritas para o major. Sempre vi uma mentalidade de campeã nela”, completou Evert.