Bruno Cassucci
27/07/2016
07:50
Teresópolis (RJ)

A preocupação aos poucos foi dando lugar ao otimismo e a confiança em Fernando Prass. O goleiro de 38 anos começou a sentir dores no cotovelo direito depois de realizar uma defesa no treino da Seleção na última segunda-feira e não foi a campo na última terça. Contudo, apesar do susto, o palmeirense tem apresentado evolução e acredita que poderá fazer a estreia com a amarelinha no sábado, em amistoso contra o Japão, em Goiânia.

Prass realizou tratamento com durante toda a terça-feira com o médico André Pedrinelli e os fisioterapeutas Alex Evangelista e Charles Costa. O inchaço provocado pelo edema que tinha na região, a mesma que ele operou em 2014, já diminuiu, bem como as dores que o goleiro sentia.

Contudo, o departamento médico e a comissão técnica da Seleção entendem que talvez seja melhor poupá-lo do treinamento nesta quarta-feira, na Granja Comary, em Teresópolis, e realizar fortalecimento da região lesionada. Prass será reavaliado na parte da manhã, mas é grande a chance de não ir a campo na atividade prevista para as 15h30. Mesmo que vá, possibilidade remota, deve realizar trabalhos com pouco impacto.

Apesar do problema, Fernando Prass está tranquilo e demonstrou otimismo a pessoas próximas na última terça-feira.

O goleiro reserva da Seleção é o jovem Uilson, de 22 anos, do Atlético-MG. Em caso de corte, Jordi, do Vasco, Jean, do Bahia, e Alisson, ex-Internacional e hoje na Roma (ITA), são opções em uma lista de suplentes enviada pela CBF à Fifa.

A Seleção pode recorrer à lista de 35 suplentes para fazer trocas por lesões até o dia 3, véspera da estreia na Rio-2016, contra a África do Sul, em Brasília.