icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
29/08/2015
07:57

Se o são-paulino quer que o técnico Juan Carlos Osorio continue no São Paulo é bom ir ao Morumbi neste sábado, às 21h, torcer para o time derrotar a Ponte Preta. Insatisfeito com a situação no clube, o colombiano deixou claro que só resultados o seguram.

Cobiçado pela seleção do México, o colombiano não descartou sair para assumir um projeto de Copa do Mundo e agora tudo dependerá do sucesso de seu trabalho no Brasil. Antes do jogo contra o Ceará, na última quarta-feira, ele já tinha cogitado pedir demissão, após três derrotas consecutivas.

Na visão do técnico, a partida deste sábado e a de quarta-feira, contra o Joinville, fora de casa, serão fundamentais para definir o futuro, tanto do time quanto dele, pelo visto.

O treinador está muito aborrecido porque, após a saída de oito atletas, precisa abrir mão de suas convicções para montar o time: o esquema com três zagueiros e o rodízio, sua principal bandeira de trabalho e considerada fundamental. O time, então, deve ser praticamente o mesmo que derrotou o Ceará por 3 a 0, pela Copa do Brasil.

– Perdemos Paulo Miranda, Rafael Toloi, alguns zagueiros muito bons. Então, jogar com três hoje é muito difícil. Ainda mais difícil. Os próximos dois jogos são muito importantes para nós – afirmou Osorio, em entrevista na qual externou várias insatisfações com o que vive no clube (leia mais ao lado).

Neste sábado, o técnico não poderá contar com Lucão e Luis Fabiano, machucados, e Bruno, suspenso. Ainda se recuperando de problema na coxa direita, Rogério Ceni é dúvida. A partir da semana que vem, Lucão e Rodrigo Caio se apresentarão à Seleção Olímpica e ficarão fora por três jogos. Restarão Luiz Eduardo, Edson Silva e Lyanco para a zaga. Os dois primeiros são canhotos e garoto fez apenas um jogo, como volante.

Por essas e outras, uma vitória hoje passou a ser essencial. São dois jogos sem vencer no Brasileiro e qualquer tropeço agora pode significar crise para Osorio. Por outro lado, a vitória recoloca o time no G4 da competição. Será uma Ponte para o topo ou para o México?

Se o são-paulino quer que o técnico Juan Carlos Osorio continue no São Paulo é bom ir ao Morumbi neste sábado, às 21h, torcer para o time derrotar a Ponte Preta. Insatisfeito com a situação no clube, o colombiano deixou claro que só resultados o seguram.

Cobiçado pela seleção do México, o colombiano não descartou sair para assumir um projeto de Copa do Mundo e agora tudo dependerá do sucesso de seu trabalho no Brasil. Antes do jogo contra o Ceará, na última quarta-feira, ele já tinha cogitado pedir demissão, após três derrotas consecutivas.

Na visão do técnico, a partida deste sábado e a de quarta-feira, contra o Joinville, fora de casa, serão fundamentais para definir o futuro, tanto do time quanto dele, pelo visto.

O treinador está muito aborrecido porque, após a saída de oito atletas, precisa abrir mão de suas convicções para montar o time: o esquema com três zagueiros e o rodízio, sua principal bandeira de trabalho e considerada fundamental. O time, então, deve ser praticamente o mesmo que derrotou o Ceará por 3 a 0, pela Copa do Brasil.

– Perdemos Paulo Miranda, Rafael Toloi, alguns zagueiros muito bons. Então, jogar com três hoje é muito difícil. Ainda mais difícil. Os próximos dois jogos são muito importantes para nós – afirmou Osorio, em entrevista na qual externou várias insatisfações com o que vive no clube (leia mais ao lado).

Neste sábado, o técnico não poderá contar com Lucão e Luis Fabiano, machucados, e Bruno, suspenso. Ainda se recuperando de problema na coxa direita, Rogério Ceni é dúvida. A partir da semana que vem, Lucão e Rodrigo Caio se apresentarão à Seleção Olímpica e ficarão fora por três jogos. Restarão Luiz Eduardo, Edson Silva e Lyanco para a zaga. Os dois primeiros são canhotos e garoto fez apenas um jogo, como volante.

Por essas e outras, uma vitória hoje passou a ser essencial. São dois jogos sem vencer no Brasileiro e qualquer tropeço agora pode significar crise para Osorio. Por outro lado, a vitória recoloca o time no G4 da competição. Será uma Ponte para o topo ou para o México?