Marcio Porto
15/02/2017
06:45
São Paulo (SP)

A torcida do São Paulo aguarda ansiosamente pela estreia de Lucas Pratto, mas quem está dando conta do recado é um centroavante discreto, com bem menos grife e repercussão do que o argentino. Gilberto está longe de custar R$ 22 milhões, não é cotado para a Seleção Brasileira, tampouco é tratado como estrela por aí afora. Mas o que tem feito de gols... Foram quatro nos últimos dois jogos, o que o credencia a principal esperança tricolor para o clássico contra o Santos nesta quarta-feira, na Vila Belmiro, pelo Campeonato Paulista.

Carrasco de Moto Club e Ponte Preta, Gilberto vive seu melhor momento desde que chegou ao São Paulo, em julho do ano passado. A boa fase veio justamente quando o clube vive a empolgação pela chegada de Pratto, badalado centroavante, presente nas últimas convocações da Argentina e avaliado em uma forturna, desembolsada pelo Tricolor.

Gilberto é raiz na simplicidade, acompanhada de uma calmaria marcante. No CT da Barra Funda, a fala é mansa, os movimentos são de quem está anestesiado, mas quando entra em campo o jogador parece encarnar um leão. A garra foi um tormento para os adversários de Moto Club (1) e Ponte (3), as duas vítimas do ano.

O sucesso contagiou a torcida do São Paulo, que prestou reverência ao seu artilheiro improvável. Nas redes sociais, choveram montagens bem humoradas exaltando a fase goleadora de Gilberto. O momento é dele e, sem Pratto, que ainda não tem documentação pronta, é nele que a torcida tem de confiar para quebrar o tabu de não vencer o rival na Vila desde 2009. Se depender da confiança do atacante...

- Também já fiz dois gols no Santos, pela Portuguesa. Não sei se dá (para fazer três de novo). É oportunidade. Se chegar, e eu tiver a felicidade de fazer, as coisas vão acontecendo naturalmente. Claro que temos de respeitar um pouco os jogadores do outro lado, o Santos, mas a gente quer ganhar. Sempre vou pra ganhar e em busca da vitória - afirmou Gilberto.

E Pratto? Gilberto não tem vaidade. Quem sabe ele não pode levá-lo à Seleção Brasileira? O artilheiro raíz sonha.

- Você tem um atacante de nível de seleção. Se você joga à frente dele, você se qualifica também para seleção. Se joga ao lado, também. É muito importante a chegada dele. Já conhecia jogando contra. Se ele fizer os gols, vou ficar feliz, como ficava com o Chavez. A importância é sempre o São Paulo.

É a humildade de quem está sendo chamado de Gibagol pela torcida