Ataide Gil Guerrero

Ataíde Gil Guerreiro admitiu que clube deve aos jogadores e que elencou rachou no vestiário (Foto: Divulgação)

LANCE!
19/02/2016
18:46
São Paulo (SP)

O que eram dois meses agora são apenas oito dias. Mesmo assim, o São Paulo deve direitos de imagem a seus jogadores, segundo admitiu nesta sexta-feira o vice-presidente de futebol do clube, Ataíde Gil Guerreiro, à Rádio Transamérica. O dirigente ainda contou detalhes sobre o pacto de silêncio de parte do elenco dentro dos vestiários, publicado inicialmente pela ESPN.

- Houve um movimento dentro do vestiário, alguns querendo o silêncio, outros querendo mais calma, porque sabiam que íamos pagar. Esse atraso queríamos pagar, mas houve uma discussão de querer falar com a imprensa, e outra parte não. Mas isso está superado agora, temos 24 horas de atraso, nem isso, temos verba grande pra receber e vamos deixar toda situação dos jogadores certa - disse. 

Após a derrota para o The Strongest, da Bolívia, no Pacaembu, alguns jogadores quiseram falar com a imprensa. Outros, não. Apenas Jonathan Calleri, Denis, Alan Kardec e Diego Lugano conversaram com os jornalistas. Os outros optaram pelo silêncio ao serem procurados pelos jornalistas.

A dívida até a tarde desta sexta-feira era de dois meses de direitos de imagem, referentes a dezembro e janeiro. Segundo Ataíde, o valor pago é o de dezembro. Desta forma, ainda há oito dias de atraso, porque a parcela de janeiro vence apenas no mês seguinte, fevereiro. O dirigente tratou como inadmissível a postura da diretoria. 

- Se devemos, temos que aguentar. Mas isso está superado agora. Estava atrasado, o que é inadmissível estar atrasado, infelizmente vem uma situação do passado, de débitos que não deveríamos atrasar, nós atrasamos imagem e cria o clima ruim, o que é normal. O São Paulo viveu o ano passado vários distúrbios por algum atraso que não deveriam acontecer, isso cria um clima ruim toda vez que você não consegue cumprir seus pagamentos - ponderou. 

Confira outros tópicos da entrevista de Ataíde Gil Guerreiro:

Críticas do empresário Abílio Diniz 

"O Abilio merece todo o respeito, como qualquer outro grande torcedor do São Paulo. Ele não é conselheiro, mas por se manifestar sempre como grande são-paulino e pela personalidade dele, o respeito que ele tem no meio empresarial, acaba por expor as opiniões dele até no conselho deliberativo. A situação do que está acontecendo no momento: ele tem feito críticas a mim indevidas, que eu não aceitei, dizendo que eu não entendo de futebol, mas qual a experiência dele no futebol? O que ele entende de futebol? Ele é um grande empresário, mas o que fez do futebol? Ele está pagando a auditoria, mas isso não o dá o direito de estar criticando a diretoria de futebol."

Crise política pode atrapalhar o time em campo?
"Não vai atrapalhar o São Paulo da mesma maneira que ano passado não atrapalhou, e não vai atrapalhar, vamos isolar essa discussão politica. Aqui na Barra Funda não dá para trazer esses problemas, temos de lutar pela classificação."

Acerto com a Globo ou Esporte Interativo?
"Se você pegar o Corinthians, o Vasco, o Botafogo, o Cruzeiro, fecharam com a Globo recebendo 40 milhões em empréstimo, para pagar 2019, e aceitaram reduzir contratos, o São Paulo não aceitou isso, está discutindo, também com o Esporte Interativo, e quando for não será empréstimo, será luvas. Não sabemos com quem vamos assinar, tem um pré-contrato da Globo, mas só pode ser assinado na reunião de Conselho, e vou levar a Globo e o Esporte Interativo."

Lucão
"Temos de trazer o Lucão em evidência, grande jogador, um dos que mais respeito no elenco, vai crescer muito, ele estará no futuro nas seleções principais do Brasil. Ele foi infeliz em dois jogos, mas tehho certeza de que vai se recuperar."

Ganso
​"Ganso, um craque, já decidiu muitas partidas para nós. O Ganso normalmente é um dos que mais corre, mas sempre tem parte da imprensa e do público em geral, criticando o trabalho dele, vai nos ajudar muito. Hoje, trazendo o Lugano, espírito de liderança, acho que vamos voltar a fazer um grupo homogêneo, porque senão você não consegue fazer grandes conquistas. A junção deles será muito boa para nós."

Centurión
"Fiquei muito triste foi por causa do Centurión, quando buscamos ele, ele era um craque na Argentina, aqui não está tendo atuações condizentes com as de lá, mas ele faz papel bom taticamente, e na hora que acertar as finalizações, vai se redimir. Bauza falou que não acreditava que Centurión não estava no time quando chegou. "