Russel Dias
11/12/2016
06:00
Santos (SP)

Se tem alguém que comemora o fracasso do Santos na tentativa de contratar reforços no começo do ano, este é Vitor Bueno. Foi pela falta de estrelas para substituir Geuvânio e Marquinhos Gabriel que o técnico Dorival Júnior decidiu dar chances a Vitor Bueno, que vinha do time B. Depois de diversos testes, foi ele quem conseguiu a vaga de titular no ataque.

37 rodadas depois, eis que a aposta é uma das revelações do Campeonato Brasileiro. Neste domingo, às 17h, diante do América-MG, na Vila Belmiro, pela última rodada, ele pode alcançar até mais do que uma afirmação como profissional.

Ao lado de Copete e Ricardo Oliveira, ele tem dez gols na competição. Se balançar as redes e contar com a ajuda dos amigos, pode terminar o ano como o artilheiro do Santos no Brasileirão.

– Acho que fiz um bom campeonato. Não serei hipócrita de dizer que não acho que fui destaque. Não sei se sou a grande revelação, mas se não tiver esse prêmio, não vou abaixar a cabeça. Luto por títulos individuais também, são frutos do trabalho – admite o camisa 18.

Há um ano, Dorival usava exatamente a última rodada do Brasileirão para testar Vitor, que correspondeu com um dos cinco gols da goleada sobre o Atlético-PR.

Neste período, não foi só o garoto que evoluiu. Diferentemente do ano passado, hoje o Santos tem objetivos na última rodada. Caso vença o América-MG e o Flamengo tropece contra o Atlético-PR fora de casa, o Peixe retoma a segunda colocação perdida na última rodada e recebe premiação de R$ 10,7 milhões.

Seja pela afirmação como profissional, para se credenciar como titular na Libertadores, ser artilheiro ou mesmo para deixar o Santos no lugar mais alto que conseguir, Vitor Bueno tem motivos para olhar para trás e sorrir na tarde deste domingo.

‘Consegui mostrar a todos meu futebol e quem é o Vitor Bueno’

Confira outras respostas de Vitor Bueno:

Que avaliação faz da sua temporada, a primeira que você começou desde o começo?


Temporada positiva, consegui jogar muitos jogos no Brasileiro. Foi um ano de afirmação. Tem muito o que melhorar ainda, mas particularmente, consegui mostrar a todos meu futebol e quem é o Vitor Bueno. Espero que 2017 seja melhor e que venha mais títulos para o Santos.

No que precisa melhorar?

Sempre podemos melhorar. Tanto parte técnica, como parte tática. Nunca está perfeito. Mais do que nunca, vou ouvir o professor Dorival para aprimorar.


O Santos busca contratações principalmente para o ataque. O que pensa a respeito?

Na Libertadores sempre se fala em grandes jogadores. É fato que os times classificados vão contratar nomes de peso. Se vierem para o Santos, vão ajudar, como eu. Fica a critério do professor. Vou trabalhar como sempre fiz e procurar ajudar o Santos. Quero jogar a Libertadores.