icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
21/08/2015
06:54

Lucas Lima lidou com uma série de comparações com Paulo Henrique Ganso pelo fato de atuar na mesma posição e ser canhoto, como o ex-camisa 10 do Santos campeão da Copa do Brasil de 2010, na época com Dorival Júnior.

Como o camisa 20 vinha do Sport e era pouco conhecido no cenário nacional, não era modéstia de sua parte negar comparações com o atual meia são-paulino.

– Acho que o Ganso é o último meia que ficou marcado. E com razão, porque é muito diferenciado – comentou Lucas Lima no fim de 2014, em entrevista ao LANCE!.


Lucas Lima foi o nome do jogo contra o Corinthians (Foto: Ari Ferreira / LANCE!PRESS)

Hoje, a realidade é oposta. Nos números, a comparação é inevitável entre Ganso e Lucas em um fator que ambos se destacam: assistências.

No ano em que deu mais passes para gols do Peixe, 2010, Ganso serviu 13 vezes em 43 partidas ao todo.

Já o atual maestro santista, depois dos dois passes para gol contra o Corinthians, na última quarta-feira, pela Copa do Brasil, chegou à marca de 12 assistências na temporada, ficando apenas a um passe de igualar o último grande meia que passou pela Vila Belmiro nos últimos anos.

– Minha característica principal é o dinamismo no jogo. Fico muito feliz quando dou passes para gol assim – disse o camisa 20 na saída do campo, após decidir o jogo servindo Gabigol e Marquinhos Gabriel na Vila.

Há cinco anos, antes de se lesionar, Paulo Henrique Ganso teve atuações decisivas justamente na Copa do Brasil, título que levou o Alvinegro à Libertadores de 2011, taça levantada pelo Santos naquele ano.

Outra coincidência possível entre os meias é o clamor pela primeira convocação para a Seleção Brasileira. Em 2010, muitos pediam que Ganso fosse incluído na lista para a Copa do Mundo, mas ele foi ignorado por Dunga. Já Lucas Lima esperou menos pelo chamado. Diferentemente de Paulo Henrique, que só foi jogar com Mano Menezes, o maestro do Peixe foi lembrado por Dunga e desfalcará o Santos no mês que vem.

Fato é que, nos últimos cinco anos, após Ganso ser vendido para o rival São Paulo, o Santos nunca encontrou um substituto à altura. Da própria categoria de base, Alan Patrick e Felipe Anderson foram vendidos sem brilho, e outras contratações não tiveram tanto sucesso, como foi o caso de Montillo, vendido no ano passado para o futebol chinês.

Agora, sem muita pretensão, o reforço que veio da Série B é badalado, de Seleção Brasileira e atrai cada vez mais os clubes da Europa. O caminho tem tudo para ser diferente...

OS ÚLTIMOS MEIAS

Cícero

Chegou sem badalação, depois de temporada apagada no rival São Paulo. Porém, foi quem mais surpreendeu e foi disparado o principal jogador do time após a venda de Neymar. Sem acordo salarial, não renovou seu contrato e saiu.

Montillo

Contratado do Cruzeiro em 2013, o argentino nunca atingiu o desempenho esperado pela torcida do Peixe. Hoje no futebol chinês, o meia teve bons lampejos no ano em que vestiu a 10 do clube, mas ainda muito abaixo do que apresentou na Raposa.

Ganso

Último camisa 10 a se tornar ídolo no Peixe, Ganso conquistou três Paulistas, uma Copa do Brasil e a Libertadores de 2011. Por conta de diversos problemas com a antiga diretoria do Santos, saiu “brigado” para o São Paulo.

Lucas Lima lidou com uma série de comparações com Paulo Henrique Ganso pelo fato de atuar na mesma posição e ser canhoto, como o ex-camisa 10 do Santos campeão da Copa do Brasil de 2010, na época com Dorival Júnior.

Como o camisa 20 vinha do Sport e era pouco conhecido no cenário nacional, não era modéstia de sua parte negar comparações com o atual meia são-paulino.

– Acho que o Ganso é o último meia que ficou marcado. E com razão, porque é muito diferenciado – comentou Lucas Lima no fim de 2014, em entrevista ao LANCE!.


Lucas Lima foi o nome do jogo contra o Corinthians (Foto: Ari Ferreira / LANCE!PRESS)

Hoje, a realidade é oposta. Nos números, a comparação é inevitável entre Ganso e Lucas em um fator que ambos se destacam: assistências.

No ano em que deu mais passes para gols do Peixe, 2010, Ganso serviu 13 vezes em 43 partidas ao todo.

Já o atual maestro santista, depois dos dois passes para gol contra o Corinthians, na última quarta-feira, pela Copa do Brasil, chegou à marca de 12 assistências na temporada, ficando apenas a um passe de igualar o último grande meia que passou pela Vila Belmiro nos últimos anos.

– Minha característica principal é o dinamismo no jogo. Fico muito feliz quando dou passes para gol assim – disse o camisa 20 na saída do campo, após decidir o jogo servindo Gabigol e Marquinhos Gabriel na Vila.

Há cinco anos, antes de se lesionar, Paulo Henrique Ganso teve atuações decisivas justamente na Copa do Brasil, título que levou o Alvinegro à Libertadores de 2011, taça levantada pelo Santos naquele ano.

Outra coincidência possível entre os meias é o clamor pela primeira convocação para a Seleção Brasileira. Em 2010, muitos pediam que Ganso fosse incluído na lista para a Copa do Mundo, mas ele foi ignorado por Dunga. Já Lucas Lima esperou menos pelo chamado. Diferentemente de Paulo Henrique, que só foi jogar com Mano Menezes, o maestro do Peixe foi lembrado por Dunga e desfalcará o Santos no mês que vem.

Fato é que, nos últimos cinco anos, após Ganso ser vendido para o rival São Paulo, o Santos nunca encontrou um substituto à altura. Da própria categoria de base, Alan Patrick e Felipe Anderson foram vendidos sem brilho, e outras contratações não tiveram tanto sucesso, como foi o caso de Montillo, vendido no ano passado para o futebol chinês.

Agora, sem muita pretensão, o reforço que veio da Série B é badalado, de Seleção Brasileira e atrai cada vez mais os clubes da Europa. O caminho tem tudo para ser diferente...

OS ÚLTIMOS MEIAS

Cícero

Chegou sem badalação, depois de temporada apagada no rival São Paulo. Porém, foi quem mais surpreendeu e foi disparado o principal jogador do time após a venda de Neymar. Sem acordo salarial, não renovou seu contrato e saiu.

Montillo

Contratado do Cruzeiro em 2013, o argentino nunca atingiu o desempenho esperado pela torcida do Peixe. Hoje no futebol chinês, o meia teve bons lampejos no ano em que vestiu a 10 do clube, mas ainda muito abaixo do que apresentou na Raposa.

Ganso

Último camisa 10 a se tornar ídolo no Peixe, Ganso conquistou três Paulistas, uma Copa do Brasil e a Libertadores de 2011. Por conta de diversos problemas com a antiga diretoria do Santos, saiu “brigado” para o São Paulo.