Léo Saueia
06/01/2017
07:05
São Paulo (SP)

Com a reapresentação do elenco marcada para o próximo dia 11, daqui a menos de uma semana, o Santos admite não cumprir um dos primeiros objetivos do técnico Dorival Júnior: ter a equipe praticamente fechada já no primeiro treino na pré-temporada de 2017. Com dificuldade por reforços, diretoria e comissão técnica estão cientes de que chegarão reforços ao longo da preparação.

O treinador santista pretende implementar um novo esquema tático para ser aplicado já a partir do Estadual. Por isso, Dorival esperava ter o grupo ao menos 95% pronto para iniciar os trabalhos. Além disso, a parte física também é alvo de preocupação do comandante, afinal a maioria do elenco teve pouco mais de um mês de férias e tem estreia marcada já para o dia 5 de fevereiro, contra o Linense, na Vila Belmiro, pelo Paulistão. 

Mesmo ainda sem um centroavante, um meia e mais um atacante de velocidade, principais focos do Santos para preencher lacunas na equipe, Dorival terá à disposição quatro jogadores já contratados para disputar a Libertadores: o zagueiro Cleber, o lateral-direito Matheus Ribeiro, o volante Leandro Donizete e o atacante colombiano Vladimir Hernández.

Além do quarteto, que pisará no CT Rei Pelé pela primeira vez na próxima quarta-feira, o presidente Modesto Roma Júnior tenta correr contra o tempo para que o atraso prejudique em menor escala possível o trabalho do comandante. Justamente por isso, apenas para o ataque, há diversos alvos em contato com o clube.

O nome mais forte é o de Hernán Barcos. O argentino de 32 anos acertou salário com o Santos em reunião realizada na última quinta em Buenos Aires. Uma dívida de R$ 1 milhão do Vélez Sarsfield com o jogador, que Barcos pretendia que o Santos assumisse, ainda emperra o acerto e deixa dúvidas sobre sua contratação.

Além do Pirata, Bruno Henrique também tem conversas. Peixe e Wolsfburg mantiveram contato ao longo da semana, e o Alvinegro estuda a melhor alternativa para tê-lo na Liberta. O atacante e seus representantes esperam o acerto entre os clubes e não estão diretamente envolvidos nas tratativas.