LANCE!
23/09/2017
23:57
São Paulo (SP)

O Santos conseguiu deixar a eliminação na Libertadores no passado e voltar a focar suas atenção no Campeonato Brasileiro. Na noite deste sábado, o time venceu o Atlético-04 por 1 a 0 na Vila Belmiro, com gol de Bruno Henrique. Após a partida, o atacante mal falou sobre o tento e a vitória. Preferiu se desculpar mais uma vez por ter cuspido no adversário na última quarta-feira. Para justificar o erro, Bruno Henrique fez uma comparação com o francês Zidane, ex-jogador e atual técnico do Real Madrid.

- Fico triste. Aconteceu. Acontece com todo mundo. Na final da Copa do Mundo, o Zidane deu uma cabeçada no Materazzi. Aconteceu com ele, aconteceu comigo. Somos seres humanos - afirmou o jogador, que chegou a 16 gols - seis no Brasileiro - e é o artilheiro do Peixe na temporada.


- Só eu sei o que eu passei durante essa semana. Temos que digerir, dar a resposta. Não posso parar. Pedi desculpas a todos, especialmente ao jogador do Barcelona. Somos adversários dentro de campo, fora dele somos companheiros de profissão - acrescentou Bruno Henrique.

A polêmica aconteceu nos minutos finais da partida contra o Barcelona, que culminou na eliminação do Peixe da Libertadores. O camisa 27 perdeu a cabeça, cuspiu no rosto de Dámian Diaz e acabou expulso. No dia seguinte, ele usou as redes sociais para se redimir e demonstrou arrependimento pela atitude. O jogador disse que tanto a eliminação no torneio quanto a expulsão serviram de aprendizado. 

- Depois do jogo que a gente foi eliminado, enfrentar essa equipe muito qualificada como o Atlético-PR... Ainda estamos tristes, digerindo. Ficou de lição o que aconteceu. Não é fácil, mas entramos com uma postura diferente e conseguimos sair com a vitória - completou o atleta. 

Em coletiva, o técnico Levir Culpi saiu em defesa de Bruno Henrique, repetiu o discurso do crescimento pessoal e elogiou o artilheiro do Santos em 2017. 

- Tivemos uma conversa e falei que os dois estão aprendendo. Não sabemos tudo, mas temos que evoluir. Tem que reconhecer os erros em primeiro lugar. E depois pôr em prática no próximo jogo. Ele jogou normalmente, é muito visado e fica nervoso, perde um pouco de equilíbrio, mas é aceitável - afirmou o comandante do Peixe.

- Não conheço bem a história do Bruno, mas é um cara do bem e um dos melhores do campeonato. Ele consegue evoluir. Eu tenho 64. Ele tem 25, sei lá. Tem que reconhecer e vai ser melhor ainda do que é - completou Levir.