Guilherme Amaro e Russel Dias
07/07/2016
08:00
Santos (SP)

Quando Fabián Noguera nasceu, o zagueiro argentino Ramos Delgado já tinha encerrado sua carreira há 20 anos. Mas isso não impediu que o novo defensor do Santos soubesse da história de um dos ídolos do Peixe, que assim como Noguera, passou pelo Banfield antes de chegar à Vila.

É justamente em um dos maiores beques da história alvinegra que Fabián Noguera se inspira para começar sua trajetória no Peixe, que, segundo ele, é o maior do país.

– Na Argentina, Ramos Delgado é muito conhecido. Aqui no Santos me falaram muito dele. Quero fazer pelo menos metade do que ele fez aqui no Santos e poder representar o que ele representou na Argentina – disse o zagueiro de 23 anos à reportagem do LANCE!, após ser apresentado na quarta, na Vila Belmiro.

Se por si só o fato de se inspirar em um jogador que defendeu o Peixe entre 1967 e 1973 é incomum, o zagueiro que também veio do Banfield, tem outra peculiaridade.

Além do futebol, Noguera se dedica aos estudos. Na Argentina, ele cursava o terceiro ano de administração de empresas e pretende continuar a faculdade em Santos.

– Eu estava no Nueva Chicago, time da Segunda Divisão da Argentina. Eu não estava jogando, a faculdade era perto da minha casa... Depois cheguei ao Banfield e continuei estudando. Treinava e estudava. Agora aqui em Santos vou fazer faculdade à distância – contou.

Apesar de estar há pouco tempo no Alvinegro, Noguera já tem o que administrar. Ele, além de Maxi Rolón, que está de saída (veja mais abaixo), não foi contratado com o aval do técnico Dorival Júnior. Mesmo assim, o novo camisa 32 prometeu trabalhar bastante em campo para convencer o comandante de que pode jogar e ser outro argentino vitorioso no Santos.

Confira outras respostas de Fabián Noguera:

Você não atua desde o fim de 2015 porque o Banfield te afastou por não querer renovar. Ficou chateado? Como está fisicamente?
Eu quis poder sair do Banfield. Joguei quase 100 partidas lá. Sentia que era uma etapa concluída. Me abri com a diretoria para me vender, eles não quiseram. Me apareceu o Santos e o River Plate. Mas quando veio o Santos, não tive dúvidas e assinei pré-contrato. Fisicamente estou ótimo, preciso só trabalhar com bola, mas o físico está bom.

Por que preferiu o Santos ao River Plate da Argentina?
Me agrada muito o futebol brasileiro. O Santos é enorme, sempre sonhei em jogar aqui. No tive dúvidas por um segundo quando teve a oferta.

Tem aprendizados da faculdade que você aplica no futebol?
Sim, liderança é um aspecto desenvolvido, e a administração serve para pensar, falar melhor e seguir aprendendo. Gosto de matemática também, serve para sair um pouco do futebol em alguns momentos.