LANCE!
18/02/2018
22:22
São Paulo (SP)

Roger Machado disse que o Palmeiras fugiu de suas características no empate sem gols com a Ponte Preta, neste domingo, em Campinas. O motivo, obviamente, foi o gramado encharcado do Moisés Lucarelli.

- É difícil a gente fazer uma avaliação mais precisa, não tem como desconsiderar a qualidade do gramado. No segundo tempo secou um pouco mais, houve mais trocas de passes pelo lado esquerdo, porque o direito ainda estava alagado. Foi um jogo de imposição física, não foi um jogo bom tecnicamente - opinou o treinador do Verdão.

Sem Borja, vetado devido a dores no joelho direito, Roger sentiu falta de Deyverson, que se recupera de cirurgia para corrigir fratura no quinto metatarso do pé direito e deve ficar mais um mês fora de combate.

- Eu não tive as alternativas hoje, mas a gente tem no elenco. Seria um jogo apropriado para o Deyverson, que é alto, de intensidade física. O próprio Artur é um jogador de lado, mas forte fisicamente para um jogo como esse. Em função de o Borja ter ficado em São Paulo, a gente formatou a equipe dessa forma - declarou Roger, citando também Artur, que operou o tornozelo direito na última semana e ficará dois meses afastado.

O comandante ainda explicou sua última substituição: quando o Palmeiras dominava a Ponte, aos 40 minutos do segundo tempo, ele tirou Lucas Lima e colocou Bruno Henrique. Gustavo Scarpa, acionado nas três partidas anteriores, não saiu do banco de reservas.

- Eu não tinha o Miguel hoje. É um atleta de força física que ficou em São Paulo. A entrada do Bruno foi porque já tínhamos quatro jogadores leves em campo. Queria fortalecer o tripé de meio de campo para liberar os jogadores de lado. As minhas alternativas foram essas.

O Palmeiras volta a campo no sábado que vem, às 17h, contra o Corinthians, em Itaquera. O elenco folga nesta segunda e retoma os trabalhos na terça.