Ana Canhedo
07/06/2016
18:57
São Paulo (SP)

Algumas mensagens no Whatsapp e silêncio dão o tom dos últimos dois dias da rotina do centroavante Alecsandro, flagrado no exame antidoping que fez depois da vitória do Palmeiras sobre o Corinthians por 1 a 0, no dia 3 de abril, pelo Campeonato Paulista, no Pacaembu. O jogador recebeu o apoio do elenco palmeirense em mensagens pelo celular e não irá se manifestar publicamente até que seja divulgado o resultado da contraprova do exame, algo que deve sair no início da próxima semana. 

Assim que o atacante ficou sabendo da acusação de doping, Alecsandro logo se manifestou no grupo de Whatsapp dos jogadores do Palmeiras, e recebeu mensagens de apoio na sequência. Nesta terça-feira, participou normalmente do jogo-treino do Verdão contra o Nacional, inclusive incentivando os garotos a se esforçarem ao máximo durante a atividade. 

– Estávamos conversando, temos um grupo de Whats, ele mesmo falou, cada um deixou uma palavra de incentivo pra ele. É um momento difícil. Não tinha de acontecer, mas se aconteceu, o Palmeiras vai fazer a coisa certa. Tomara que ele entre no jogo domingo, faça gol e fique com a cabeça tranquila. O grupo está com ele – disse o lateral Fabrício.

A ideia do Palmeiras é nem jogador, nem médicos do clube fale a respeito da suspeita de doping justamente até o resultado da contraprova. Caso esta ateste positivo para o uso de anabolizantes, o centroavante será suspenso preventivamente por 30 dias. Os companheiros não negam que está abatido. 

– Falei com ele quando cheguei (à Academia). Está triste, o grupo também está triste, mas tem de sair a contraprova. Vamos esperar que ele fique com a gente o mais rápido possível - completou Fabrício.